Obama diz que EUA podem ajudar no processo de paz do O.Médio

Londres, 2 jun (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que seu país pode ajudar a impulsionar um diálogo de paz no Oriente Médio, porque é de interesse de Israel e dos palestinos.

EFE |

Em entrevista à "BBC", a primeira que concede a um veículo de comunicação britânico, Obama disse que confia em que os EUA possam "iniciar negociações sérias" entre Israel e palestinos.

"Não só é de interesse dos palestinos ter um Estado, é de interesse dos israelenses estabilizar a situação. E é de interesse dos Estados Unidos ter dois Estados que vivam um ao lado do outro em paz e segurança", especificou o presidente americano antes de iniciar hoje uma viagem pelo Oriente Médio.

Perguntado sobre a rejeição de Israel à interrupção dos assentamentos judaicos na Cisjordânia, Obama pediu paciência.

"A diplomacia é sempre um assunto difícil e demorado. Nunca é um assunto de resultados rápidos", acrescentou.

Sobre o programa nuclear iraniano, o presidente dos Estados Unidos manifestou sua esperança de conseguir progressos no final do ano, através de uma "diplomacia resistente e direta".

"O que disse é que é de interesse do mundo que o Irã deixe de lado as ambições de armamento nuclear", afirmou.

"Eu não quero estabelecer calendários artificiais sobre esse processo, mas queremos estar seguros de que, até o fim deste ano, teremos visto um processo sério", acrescentou.

Sobre os países do Oriente Médio, Obama disse que, apesar de assuntos de direitos humanos precisarem ser abordados, o trabalho dos EUA é impulsionar "princípios universais" que eles possam apoiar.

"O perigo, acredito, ocorre quando os Estados Unidos ou qualquer outo país acreditam que pode simplesmente impor estes valores a outro país com uma história diferente e uma cultura diferente", especificou. EFE vg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG