Obama diz que apenas iranianos devem decidir sobre líderes do país

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se disse nesta segunda-feira profundamente preocupado com a violência no Irã, mas declarou que cabe aos iranianos eleger o próprio presidente e que os Estados Unidos respeitam sua soberania.

Redação com agências internacionais |


Segundo Obama, os Estados Unidos não podem afirmar se o resultado do pleito iraniano foi ou não válido, pois o país não enviou monitores ao Irã. Ele salientou a importância de a decisão dos eleitores ser respeitada.

"Quero dizer muito claramente que apenas os iranianos devem decidir quem dirigirá o Irã", afirmou Obama, para quem o respeito à democracia e à expressão da oposição de maneira pacífica constituem "valores universais".

O presidente dos EUA destacou que mantém o projeto de tentar renovar o diálogo com o Irã e, para isso, considerou "essencial" uma diplomacia "firme" e "sem ilusões".

Obama disse, ainda, que os violentos protestos que ocorreram após as eleições preocupam a ele e a todos os americanos. "Seria errado da minha parte ficar em silêncio diante do que vimos na televisão", ponderou.

Protestos

Nesta segunda-feira, Teerã foi cenário de protestos da oposição, que contaram com a participação dos dois candidatos a presidência do Irã que questionaram a reeleição de Ahmadinejad, Mir Hosein Musavi e Mehdi Karubi.

O Irã agora aguarda a decisão das autoridades eleitorais sobre o resultado do pleito. Mas, desde a fundação da República Islâmica, há 30 anos, o poderoso Conselho dos Guardiães nunca tomou uma decisão de tal envergadura.

Ahmadinejad, reeleito com aproximadamente 62% dos votos, já negou a fraude e comparou a insatisfação dos eleitores com a que os torcedores sentem quando seu time de futebol perde um jogo.

(Com informações de EFE, AFP e AP)

Leia também:

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG