Obama diz a Brown estar decepcionado com libertação de líbio

O presidente americano, Barack Obama, expressou por meio de uma conversa telefônica realizada nesta quinta-feira sua insatisfação ao premiê britânico, Gordon Brown, com o fato de a Grã-Bretanha ter libertado um condenado pelo atentado de Lockerbie. O líbio Abdelbaset Ali Al-Megrahi, de 57 anos, foi condenado à prisão perpétua em janeiro de 2001 pelo atentado com em um voo da empresa aérea Pan Am em 1988 sobre a cidade escocesa de Lockerbie, no qual morreram 270 pessoas - 190 delas, americanas.

BBC Brasil |

Mas em 20 de agosto as autoridades da Escócia, onde Al-Megrahi estava preso, decidiram libertá-lo por razões humanitárias, já que ele sofre de câncer em estado terminal.

"O presidente manifestou sua decepção a respeito da decisão do Executivo escocês de deportar o condenado por ter derrubado o voo 103 da Pan Am, Al-Megrahi, para a Líbia", afirmou um porta-voz da casa Branca sobre a conversa entre Obama e Gordon Brown.

O governo britânico confirmou que o "assunto foi discutido" durante a conversa de 40 minutos.

No mês passado, Obama havia declarado que a libertação de Megrahi teria sido um "erro".

Líbia
O governo britânico insiste que a decisão de libertar foi tomada exclusivamente pelo governo local da Escócia.

Megrahi foi o único condenado pelo atentado. Em sua volta à Líbia, ele foi recebido como um herói.

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, se disse "zangado" com a acolhida festiva dada a Megrahi na capital líbia, Trípoli.

O envolvimento da Líbia no atentado de Lockerbie levou a sanções econômicas ao regime do líder Muamar Khadafi, que acabou entregando dois de seus agentes para que fossem julgados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG