WASHINGTON - O presidente norte-americano, Barack Obama, planeja extinguir as restrições às viagens familiares e remessas de dinheiro para Cuba, cumprindo uma promessa feita durante sua campanha, informou o The Wall Street Journal nesta sexta-feira. Obama não pretende abolir o embargo comercial imposto a Cuba, o que necessitaria de uma ação do Congresso, disse o jornal, citando uma autoridade da administração não-identificada.

A administração de Obama não considera expandir nenhuma relação diplomática com o governo da ilha, informou o jornal.

A remoção dos limites nas viagens familiares e remessas de dinheiro permitiria que cubanos-americanos e imigrantes cubanos vivendo nos Estados Unidos visitassem livremente a ilha, ao invés de uma só vez por ano, e aboliria o limite de 1.200 dólares por pessoa para remessas de dinheiro para familiares em Cuba.

O presidente dos EUA tem autoridade para aliviar estas regras e a mudança é um sinal de uma nova atitude em relação a Cuba e a outros países latino-americanos que pressionam os EUA para alterar sua política, disse o Journal.

Obama se reunirá com líderes latino-americanos em uma cúpula regional este mês, em Trinidad e Tobago.

O Congresso norte-americano considera atualmente propostas que aliviaria as restrições a cidadãos americanos em viagem à Cuba, introduzidas com outras sanções nos anos 1960 quando a revolução de Fidel Castro tornou Cuba em um aliado soviético.

(Reportagem de Anthony Boadle)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.