Obama desconhece situação ilegal de tia em Boston, diz campanha

LAS VEGAS (Reuters) - O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, nada sabe sobre a situação de uma tia queniana que supostamente vive ilegalmente no país, mas acredita que todas as leis apropriadas devem ser obedecidas, disse sua campanha neste sábado. A campanha do democrata reagiu a um relato da agência de notícias Associated Press que diz que a tia de Obama recebeu ordens para deixar o país quatro anos atrás de um juiz de imigração que rejeitou seu pedido de asilo do Quênia, sua terra natal.

Reuters |

Zeituni Onyango, de 56 anos, que Obama chama de "tia Zeituni" em uma de suas biografias, leva um vida discreta em um complexo residencial em Boston e é meia-irmã do falecido pai de Obama.

"O senador Obama não tem conhecimento de sua situação, mas obviamente acredita que toda e qualquer lei apropriada deve ser obedecida", disse a porta-voz da campanha Jen Psaki.

A campanha questionou o momento da revelação, somente três dias antes da eleição presidencial.

"Acho que as pessoas suspeitam de histórias que vêm à tona nas últimas 72 horas de uma campanha presidencial", disse David Axelrod, estrategista-chefe da campanha de Obama, a repórteres. "E acho que vão colocá-la nesse contexto."

A Associated Press atribuiu a história a duas fontes não identificadas, sendo uma delas uma autoridade federal, mas disse que não poderia precisar se alguém no governo Bush ou na campanha de McCain estaria envolvido em sua divulgação.

A agência disse que a permanência de Onyango no país seria uma violação administrativa, e não criminal, das leis de imigração. Casos como esse são resolvidos fora das cortes criminais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG