Obama descarta fechar fronteira com México por gripe suína

Washington, 29 abr (EFE).- O presidente americano, Barack Obama, afirmou hoje que os Estados Unidos não fecharão a fronteira com o México por causa da gripe suína.

EFE |

Em entrevista sobre os primeiros 100 dias no poder, Obama disse que a Administração americana seguirá o conselho dos especialistas sobre como responder à crise, com os quais faz consultas constantes, e eles desaconselharam o fechamento da fronteira, pois o vírus já está presente no país.

Para Obama, fechar a fronteira com o México, onde ocorreram os primeiros casos da gripe, "seria como fechar as portas do estábulo depois que os cavalos saíram".

"Neste momento, não se recomendou o fechamento das fronteiras. O mais importante é que tratemos este caso como qualquer outro surto epidêmico", explicou.

Obama disse que é necessário "ser precavidos", porque se trata de um novo tipo de vírus, o que justifica o nível de emergência adotado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O chefe da Casa Branca explicou que a situação atual "é séria" e que é necessário estar preparado para "o pior dos cenários", embora tenha recomendado que "o alarme não se propague".

Obama aproveitou o comparecimento na televisão para pedir às famílias e às empresas que se preparem para um eventual fechamento das escolas.

"Pedimos aos colégios onde se detecte um surto que considerem vigorosamente a suspensão temporária das atividades. Os pais e as empresas têm que ter planos de contingência em caso de as crianças terem que ficar em casa", disse Obama. EFE cma/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG