Obama defende na ONU mundo sem armas nucleares

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta quarta-feira uma nova era de comprometimento dos líderes mundiais e prometeu trabalhar junto com os outros países enquanto defende os interesses dos Estados Unidos. Chegou o momento de o mundo seguir uma nova direção. Devemos adotar uma nova era de comprometimento baseada no interesse mútuo e no respeito mútuo, disse Obama em seu primeiro discurso na Assembleia Geral da ONU.

Reuters |

Obama disse que o descontentamento internacional com o unilateralismo dos EUA alimentou um anti-americanismo que, em algumas ocasiões, serviu como desculpa para a falta de ação coletiva.

Ele acrescentou que vai buscar um novo acordo com a Rússia para a redução de armas nucleares e disse que os países que se recusarem a cumprir as determinações do tratado de não proliferação de armas nucleares devem sofrer consequências.

Obama disse que os próximos 12 meses serão fundamentais nos esforços para fortalecer as medidas contra as armas nucleares e prometeu lutar por um mundo sem elas.

O presidente dos EUA disse ainda que está comprometido com a diplomacia com o Irã e a Coreia do Norte, mas que as duas nações devem ser detidas se decidirem pela opção das armas nucleares.

"Estou comprometido com a diplomacia que abre um caminho para a maior prosperidade e uma paz mais segura para as duas nações se elas cumprirem suas obrigações", disse ele.

"Mas se os governos do Irã e da Coreia do Norte... assumirem os riscos da corrida pelas armas nucleares tanto na Ásia como no Oriente Médio -- então eles devem ser impedidos", acrescentou.

(Reportagem de Matt Spetalnick)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG