Obama defende Estado palestino e fim da colonização

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu nesta quinta-feira a criação de um Estado palestino, e exigiu de Israel o fim da colonização nos territórios, após seu primeiro encontro com o chefe da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, na Casa Branca.

AFP |

Obama destacou que acredita "firmemente em uma solução de dois Estados", um israelense e outro palestino.

O presidente afirmou ainda que israelenses e palestinos têm "obrigações em virtude do Mapa da Paz", o plano internacional para a solução do conflito, "incluindo a suspensão da colonização" nos territórios.

Em conversações na semana passada com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, "fui muito claro sobre a necessidade de se deter a colonização", assinalou Obama ao lado de Abbas.

O presidente da Autoridade Palestina confirmou a urgência da situação, declarando que "o tempo é um fator essencial" no processo de paz.

Obama admitiu que a questão passa pela dinâmica interna do governo israelense: "penso que não temos mais qualquer momento a perder" nos esforços para resolver este conflito, "mas não posso tomar decisões baseado simplesmente nas discussões que mantivemos na semana passada, já que Netanyahu deve apresentar isto ao próprio governo, à própria coalizão".

As divergências sobre um Estado palestino e sobre a colonização dos territórios, reveladas durante a visita de Netanyahu à Casa Branca, em 18 de maio, se aprofundaram hoje, ao Israel rejeitar um pedido do governo americano para suspender os assentamentos judeus.

O porta-voz de Netanyahu, Marc Regev, disse à AFP que "o futuro (das colônias) será determinado dentro das negociações sobre o estatuto final entre Israel e os palestinos", destacando que o governo israelense pretende seguir construindo nas terras da Cisjordânia ocupada.

A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, estimou hoje que a criação de um Estado palestino é do interesse dos israelenses: "pensamos que os esforços para se chegar a uma solução de dois Estados são o melhor caminho para que Israel obtenha a paz e a segurança que busca e merece".

"Pensamos que esta é a melhor maneira para que os palestinos sintam que têm o controle sobre sua própria vida (...) e para que as crianças palestinas tenham o futuro que merecem".

"Consideramos que isto não é apenas do nosso interesse e do interesse da região, mas também do interesse de Israel e dos palestinos", concluiu Clinton.

afp/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG