Obama defende convite a pastor conservador para posse

Washington, 18 dez (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu hoje sua decisão de convidar o pastor de ideologia conservadora Rick Warren a fazer uma oração durante a cerimônia de posse em 20 de janeiro.

EFE |

A decisão, anunciada na quarta-feira, gerou mal-estar entre os democratas mais progressistas e entre as organizações pró-direitos dos homossexuais, que criticam as posições de Warren contra as uniões gay e que esperavam que Obama os apoiasse mais.

Em coletiva de imprensa hoje em Chicago para apresentar vários nomes de sua equipe econômica, Obama disse ser um "firme defensor dos direitos dos homossexuais".

No entanto, ressaltou que também considera importante "que os americanos se unam, apesar das diferentes opiniões em torno de questões sociais".

Obama lembrou também que o pastor, que dirige a "megaigreja" de Saddleback, nos arredores de Los Angeles, o convidou a fazer um discurso há dois anos com pleno conhecimento de que mantêm pontos de vista muito diferentes.

Warren, que encontrou durante a campanha eleitoral tanto Obama como seu adversário, o republicano John McCain, estará acompanhado nas orações pelo reverendo Joseph Jones, um destacado integrante do movimento a favor dos direitos civis e fundador da Conferência de Liderança Cristã Sulista junto a Martin Luther King.

Segundo Obama, durante os quatro dias de festas para celebrar a posse, estarão presentes "uma ampla gama de opiniões" e "assim que deve ser". EFE mv/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG