Medida permite liberação de fundos federais para esforços de recuperação nos dois Estados americanos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou situação de "desastre" nos Estados de Nova York e Carolina do Norte por causa do Irene, um furacão que atingiu o país no sábado e foi rebaixado para a categoria de tempestade tropical no dia seguinte.

A medida permite a liberação de fundos federais para aliviar os esforços de recuperação nos dois Estados, muito afetados pela passagem do Irene. De acordo com autoridades americanas, o Irene deixou 44 mortos na área continental americana e em Porto Rico. No total, a tormenta é apontada como causa de ao menos 49 mortes (antes de chegar aos EUA, a tempestade passou pelo Caribe).

Várias áreas da costa leste dos EUA ainda sofrem com as inundações causadas pelas fortes chuvas do fim de semana. Além disso, mais de dois milhões de pessoas ainda estão sem energia.

Em Vermont, outro Estado bastante afetado, as autoridades levam suprimentos básicos aos moradores de cidades que estão isoladas pela água . Nesta quarta-feira, equipes tinham conseguido chegar por terra a 11 desses locais. Um município – Wardsboro – continua ilhado.

O prejuízo total causado pelo Irene pode chegar a US$ 20 bilhões, segundo Beth Ann Bovino, economista-sênior do Standard & Poor's. Já em uma estimativa inicial, a firma de consultoria Kinetic Analysis Corp. calcula as perdas em US$ 7 bilhões.

Muitos desses danos podem não estar cobertos por seguros, já que as apólices para moradias geralmente não cobrem inundações.

Irene foi o primeiro furacão a tocar terra no continente americano desde 2008, e apareceu quase seis anos depois do dia que o furacão Katrina devastou Nova Orleans em 29 de agosto de 2005.

Com AP e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.