Port of Spain, 17 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apertou as mãos dos líderes de Venezuela, Hugo Chávez, e Nicarágua, Daniel Ortega, antes da abertura da 5ª Cúpula das Américas.

Os tradicionais adversários dos Estados Unidos durante a Presidência de George W. Bush comemoraram e tornaram público o gesto de Obama, de quem os líderes latino-americanos, em geral, esperam uma mudança das relações com a região.

No salão do hotel Hyatt Regency, de Port of Spain, capital de Trinidad e Tobago, país que recebe, a partir de hoje, o encontro continental, Chávez se viu frente a frente com Obama, a quem manifestou o desejo de forjar uma amizade.

"Com esta mesma mão, há oito anos, eu cumprimentei Bush. Quero ser seu amigo", afirmou ao novo líder americano, ao apertar com força a mão de Obama, de acordo com um comunicado divulgado pelo Governo de Caracas e conforme pôde ser visto nas imagens oficiais.

Chávez se referia ao fato de ter cumprimentado Bush durante a 3ª Cúpula das Américas, realizada em Québec, mas, há quatro anos, os dois dirigentes se encontraram na reunião de Mar de prata e se evitaram.

Obama repetiu o gesto com o presidente da Nicarágua, a quem apertou a mão na mesma sala, onde todos os presidentes tiveram um rápido encontro antes da abertura da cúpula.

O anúncio foi feito por Ortega durante discurso perante os líderes, quando discursou em nome dos países centro-americanos.

Ortega lembrou que, no passado, teve a oportunidade de se reunir com os chefes de Estado Jimmy Carter, Ronald Reagan e George H.W.

Bush, pai do antecessor de Obama. Nesse sentido, o líder da Nicarágua disse ter esperança de que as relações de Estados Unidos com a América Latina mudem. EFE erm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.