Obama critica republicanos por atrapalhar recuperação econômica

Em tour pelo meio-oeste, presidente dos EUA acusou opositores de pressionar o Congresso a votar contra projeto de criação de empregos

iG São Paulo |

O presidente americano, Barack Obama, acusou nesta terça-feira republicanos do Congresso de atrapalhar a recuperação econômica ao pressionar o Congresso a não votar seu projeto, ainda não apresentado, para estimular empregos no país.

No segundo dia a uma viagem de três dias pelos Estados do meio-oeste Minnesota, Iowa e Illinois, Obama afirmou que a arriscada política feita em Washington estava prejudicando a possibilidade de acelerar a lenta recuperação.

AP
Obama cumprimeta eleitor enquanto toma sorvete em DeWitt, Iowa
"Poderíamos fazer ainda mais se o Congresso estivesse disposto a entrar no jogo", disse ele em Peosta, Iowa, referindo-se às medidas de geração de empregos que tem promovido na sua atual viagem de ônibus pelo país. "A única coisa que nos retém é a nossa política. A única coisa que nos impede de aprovar as leis que acabo de mencionar é a recusa de uma facção no Congresso em colocar o país à frente dos partidos, e isso tem de parar", disse Obama. "Nossa economia não pode arcar com isso."

"Podemos fazer com que nossa política se compare com a decência de nosso povo?", questionou Obama, defendendo novamente o corte dos encargos na folha de pagamento, a ajuda para que os veteranos de guerra retornem ao mercado de trabalho e o desenvolvimento de combustíveis de nova geração.

Obama prometeu colocar em andamento um novo plano de criação de empregos em setembro, mas as perspectivas de que prospere na Câmara Baixa são incertas, já que os republicanos argumentam que o presidente asfixiou o setor privado com regulações excessivas e quer aumentar os impostos sobre as pequenas empresas.

Interesses

O presidente advertiu na segunda-feira que pediria aos eleitores que castiguem os parlamentares nas urnas caso eles, como afirma, coloquem a política acima dos interesses do país e não aprovem medidas para estimular a criação de postos de trabalho.

Um dos aspirantes republicanos a disputar as eleições com Obama no ano que vem, o governador do Texas, Rick Perry, também fazia campanha em Iowa nesta terça-feira, a alguns quilômetros de Obama.

Questionado sobre o fato de a Casa Branca considerar criar uma nova agência de emprego para estimular o mercado de trabalho, Perry criticou o plano do presidente americano. "Senhor presidente, tentamos por dois anos e meio criar postos de trabalho no governo, é hora de deixar o setor privado se encarregar da tarefa. Os americanos precisam de trabalho, não de simbolismos", completou.

Além de Perry, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney e a deputada Michele Bachmann são os principais aspirantes a enfrentar Obama em 2012 .

A caravana de Obama começou na segunda-feira e termina na quarta-feira, depois de passar por Minnesota, Iowa e Illinois, Estados onde o democrata venceu na eleição presidencial de 2008. De acordo com a Casa Branca, o objetivo da viagem de Obama - em um ônibus de US$ 1,1 milhão, todo preto e com vidros foscos - é escutar a população e discutir formas de estimular a geração de empregos, tema que deve ser central na campanha eleitoral do próximo ano.

*Com AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: euarepublicanoseleições 2012obamameio-oeste

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG