Obama critica guerras baseadas mais em ideologia que em ameaça real

Bayamón (Porto Rico), 24 mai (EFE).- O pré-candidato presidencial democrata, Barack Obama, aproveitou hoje seu primeiro dia de campanha em Porto Rico para criticar as guerras no Iraque e no Afeganistão, porque, segundo ele, estão baseadas mais em ideologia do que em uma ameaça real.

EFE |

Diante das primárias democratas do próximo dia 1º de junho, em Porto Rico, Obama viajou à ilha caribenha para tentar conquistar a maioria dos cerca de 60 delegados em jogo, que são essenciais para conseguir finalmente a candidatura presidencial de seu partido.

Embora sua esposa, Michelle, tenha visitado Porto Rico há algumas semanas, esta é a primeira vez que Obama faz campanha na ilha.

Seu primeiro ato foi diante de um grupo de veteranos no campus de Bayamón da "Universidade de Porto Rico", já que segunda-feira é o dia dedicado a homenagens aos mortos em guerra pelos Estados Unidos.

Obama assinalou que já "é hora" de acabarem com os conflitos bélicos no Iraque e no Afeganistão, porque os EUA "necessitam combater o que precisa ser combatido, mas não vociferando nem intimidando, e sim com diplomacia firme e alianças sólidas".

"Honrar nossos homens e mulheres exige muito (...) e a liderança civil deve servir a nossas tropas da mesma forma como elas nos servem", disse.

É necessário "uma liderança que reflita o bom julgamento para escolher quando devemos enviar nossas tropas ao campo de batalha", já que "não é justo" deslocar militares para os conflitos "sem antes fazer as perguntas difíceis", afirmou.

Obama disse que é injusto enviar tropas "para lutarem em uma guerra baseada mais em ideologia e política do que em uma ameaça urgente à nação".

Tendo em vista que Porto Rico é uma colônia dos EUA, desde 1898, esta ilha depende de questões de defesa, migração, justiça e assuntos internacionais, entre outros, do Governo federal de Washington.

O aspirante democrata aproveitou seu discurso perante os veteranos para prometer que caso chegue à Casa Branca atenderá especialmente às necessidades dos soldados que retornam ao país.

Obama se comprometeu, concretamente, a melhorar os serviços do Hospital de Veteranos de Porto Rico em San Juan para que os reclusos "sejam tratados com respeito e dignidade".

Afirmou que quando "for presidente" se ocupará "de verificar o que o hospital necessita" para, com isso, resolver rapidamente os problemas.

Após seu discurso para os veteranos, Obama caminhou por algumas ruas históricas da Velha San Juan e, mais tarde, irá se reunir com o governador de Porto Rico, Aníbal Acevedo Vilá e líderes do Partido Popular Democrático.

Posteriormente, irá se encontrar com líderes do opositor Partido Novo Progressista no seu Comitê Central, em San Juan.

A senadora por Nova York, Hillary Clinton, deve chegar hoje a San Juan para pronunciar um discurso intitulado "Soluções para Porto Rico" e centrado em propostas "para melhorar a qualidade de vida das famílias porto-riquenhas".

Segundo um porta-voz da campanha de Hillary, a senadora se comprometerá a disponibilizar para os porto-riquenhos o "mesmo plano de saúde universal" que há nos EUA.

Também irá propor estender os incentivos de redução de impostos contributivos para promover a criação de empregos em Porto Rico. EFE jm/fh/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG