Obama critica compensação milionária a ex-chefes de hipotecárias

Washington, 9 set (EFE).- O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, e dois importantes senadores de seu partido, Charles Schumer e Jack Reed, pediram hoje ao Governo que diminua a milionária compensação aos ex-chefes das gigantes das hipotecas Fannie Mae e Freddie Mac.

EFE |

Daniel Mudd e Richard Syron receberão juntos US$ 24 milhões por saírem das duas companhias hipotecárias, segundo os termos negociados com os conselhos de administração das duas firmas.

Obama disse hoje, em Ohio, que enviou uma carta ao secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, e ao diretor da Agência Federal de Financiamento de Imóveis (FHFA, na sigla em inglês), James Lockhart, pedindo a eles que mudem os termos da compensação de Mudd e Syron.

"Seria inaceitável que executivos destas instituições tivessem lucros generosos enquanto o departamento do Tesouro dos Estados Unidos tomou medidas sem precedentes para resgatar essas companhias com recursos dos contribuintes", disse Obama à imprensa.

Da mesma forma, se manifestaram Schumer e Reed.

Os contribuintes "não deveriam enriquecer os mesmos indivíduos responsáveis por problemas financeiros que podiam ser prevenidos e que debilitaram a capacidade de Fannie e Freddie para superar a crise atual nos mercados financeiros", disseram os dois senadores em outra carta enviada a Lokhart.

Mudd receberá US$ 8,4 milhões, enquanto Syron embolsará US$ 15,5 milhões, de acordo com as indenizações acordadas.

"Pedimos uma revisão rápida desses pacotes de compensação", disseram Schumer e Reed.

Com a intervenção nas empresas, o Governo federal destituiu Mudd e Syron, que ganharam quase US$ 30 milhões no ano passado, apesar dos problemas das companhias que dirigiam. EFE cma/rr

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG