Obama convoca reunião bipartidária na Casa Branca

Após derrota de seu partido nas eleições legislativas, presidente marca encontro com lideranças democratas e republicanas

iG São Paulo |

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, convidou líderes republicanos e democratas para uma reunião na Casa Branca no dia 18 de novembro. O encontro é convocado dois dias depois das eleições legislativas, nas quais o partido Democrata, do qual Obama faz parte, perder a maioria na Câmara.

"Não podemos passar dois anos brigando", afirmou Obama nesta quinta-feira. "Precisamos ter certeza de que todos vão trabalhar juntos, tanto democratas como republicanos". Foram convidados para a reunião o deputado e provável novo presidente da Câmara, John Boehner, e o senador Mitch McConnell, ambos republicanos. Representando o partido Democrata estarão a atual presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o senador Harry Reid.

Reuters
Obama fala com a imprensa após reunião de gabinete na Casa Branca

Obama afirmou que a discussão terá como principais temas a economia, cortes de impostos e seguro-desemprego. Ele também quer que o Senado aprove um novo pacto russo-americana sobre desarmamento nuclear ainda este ano, antes de o Congresso eleito tomar posse, em janeiro.

"Negociamos com os russos importantes reduções de nosso arsenal nuclear. É algo que sempre foi apoiado pelos dois partidos", afirmou. "Não é um tema tradicionalmente democrata ou republicano, e, sim, uma questão de segurança nacional americana".

'Profunda frustração'

Na quarta-feira, quando fez seu primeiro pronunciamento público após as eleições, Obama disse que o resultado da votação mostra a "profunda frustração" do povo americano com o ritmo da recuperação econômica.

"Fizemos progressos nos últimos dois anos, mas está claro que muitos americanos não as sentiram, e foi isso que nos disseram ontem (terça-feira)", afirmou Obama no primeiro pronunciamento após a votação, em que a vitória da oposição republicana na Câmara de Representantes representou a maior mudança de partido na Casa em 62 anos.

Obama afirmou, porém, que a divisão de poder nos Estados Unidos mostra que a população não quer que apenas um partido dê as cartas sobre o futuro do país. "Quero sentar com pessoas dos dois partidos. Sei que não será fácil e não conseguiremos resolver todas as desavenças. Mas acho que a população quer que nos concentremos na criação de empregos, na sua segurança e no seu futuro", afirmou.

Obama disse que "não é ingênuo o suficiente" para pensar que todos os interesses políticos serão deixados de lado até a eleição presidencial de 2012. Mesmo assim, disse esperar que todos - incluindo ele mesmo - trabalhem mais para conseguir chegar a um consenso.

"A competição mais importante não é entre republicanos e democratas, mas entre a América e seus concorrentes econômicos em todo o mundo", afirmou. "Vamos precisar estar unidos para vencer essa competição.

O Partido Democrata perdeu a maioria na Câmara dos Representantes, mas manteve o controle do Senado nas eleições legislativas realizadas nesta terça-feira. Segundo resultados parciais, o Partido Republicano conquistou pelo menos 60 cadeiras na Câmara dos Representantes que antes estavam nas mãos dos democratas, ganhando assim o controle da Casa.

A contagem dos votos ainda está em andamento. Por volta das 15h30, os republicanos tinham conquistado 239 vagas na Câmara, contra 185 dos democratas. Outras 12 cadeiras ainda estão sendo disputadas.

Na corrida pelo Senado, apesar de candidatos democratas terem perdido vagas para a oposição em pelo menos seis Estados, o partido conseguiu manter a maioria. Neste momento, os democratas têm 51 vagas na Casa, contra 46 dos republicanos. O resultado de três disputas ainda não foi divulgado.

Os resultados das eleições mostram ainda a vitória de algumas estrelas do movimento conservador Tea Party: em Kentucky, o republicano Rand Paul venceu o democrata Jack Conway, e na Flórida, Marco Rubio venceu o independente Charlie Christ e o democrata Knedrick Meek. No entanto, uma das figuras de maior destaque do Tea Party nesta campanha, Christine O'Donnell, perdeu a corrida pelo Senado em Delaware para o democrata Christopher Coons.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: obamaeleições legislativaseuademocratasrepublicanos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG