WASHINGTON - Diante da resistência de parte da oposição republicana a seu pacote de estímulo econômico, o presidente dos EUA, Barack Obama, convocou uma reunião das lideranças democratas no Congresso, nesta segunda-feira, para enfatizar a urgência do plano.

Num momento de recessão econômica, desemprego galopante e crise imobiliária, Obama está sob pressão para conseguir aprovar até meados de fevereiro no Congresso um pacote destinado a injetar quase US$ 900 bilhões na economia.

Mas senadores republicanos alertaram no domingo que o partido deve exigir mudanças no pacote, a fim de reduzir desperdícios e agilizar o impacto econômico.

"O que eu quero (dos parlamentares) é que se lembrem, uma coisa que estou pensando todo dia, que milhares de pessoas estão sendo demitidas dos seus empregos atualmente", disse Obama à rede de TV NBC.

"Elas não podem se dar ao luxo da política normal, e os velhos hábitos são duros de quebrar, mas agora é hora de quebrá-los, porque temos uma situação urgente", acrescentou Obama na entrevista.

Obama e seu vice, Joe Biden, devem se encontrar na segunda-feira na Casa Branca com líderes democratas da Câmara e do Senado. Um assessor democrata do Senado disse que o presidente convocou a reunião para discutir os próximos passos na tramitação do pacote.

Brendan Daly, porta-voz da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse que o presidente e os líderes da bancada discutirão a pauta legislativa dos próximos meses.

Na esperança de obter apoio ao plano, Obama já se reuniu várias vezes com lideranças parlamentares republicanas desde que assumiu o cargo, no dia 20 de janeiro.

Na semana passada, o pacote foi aprovado no plenário da Câmara sem um único voto republicano, e agora está tramitando no Senado, onde os democratas também têm maioria. Para o governo, porém, seria importante demonstrar que o plano tem amplo apoio político, e que Obama está cumprindo sua promessa eleitoral de superar as divisões partidárias.

"Fiz uma extraordinária abertura aos republicanos porque eles têm algumas boas ideias e quero garantir que tais ideias sejam incorporadas", disse Obama.

O pacote proposto por Obama mistura reduções tributárias, projetos de obras públicas e ajuda direta a Estados em dificuldades.

"Estou confiante de que, até o pacote final chegar ao plenário (do Senado), veremos um apoio substancial", disse o presidente.

Na semana passada, várias grandes empresas dos EUA anunciaram demissões, e novos dados mostraram a maior retração econômica no país em 27 anos. O número de norte-americanos solicitando benefícios relativos ao desemprego também bateu um recorde.

Leia mais sobre crise financeira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.