Obama constata indícios positivos na economia dos EUA

(embargada até as 7h deste sábado) Washington, 9 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje que há indícios de que a economia de seu país volte a funcionar, embora tenha alertado que levará tempo para sair de uma recessão que foi gerada durante anos.

EFE |

"Esta semana vimos certos indícios de que as engrenagens do motor econômico dos Estados Unidos estão começando a funcionar", disse Obama em sua mensagem.

O presidente afirmou que o consumo e a venda de casas estão se estabilizando, as solicitações de auxílio-desemprego caem e a perda de empregos está começando a diminuir.

No entanto, enfatizou que os dados até agora "estão longe de ser satisfatórios" e lembrou que a taxa de desemprego está em seu ponto mais alto em 25 anos.

Sexta-feira o departamento de Trabalho informou que a percentagem de pessoas sem trabalho subiu para 8,9% em abril.

Esse mês 539 mil postos de trabalho desapareceram, menos que o esperado pelos analistas, que previam um número mais próximo dos 699 mil empregos a menos em março.

Para aliviar parte do dor sentida pelos americanos por causa da crise, em sua mensagem o presidente pediu ao Congresso para aprovar antes do dia 25 de maio a reforma das normas que regem os cartões de crédito.

Obama criticou "os repentinos aumentos nos juros, multas injustas e tarifas escondidas que passaram a ser comuns demais em nosso setor de cartões de crédito".

O presidente afirmou que os abusos se multiplicaram durante a recessão e pediu que o Legislativo aprove um projeto de lei que exija que as condições dos cartões estejam descritas em uma linguagem simples e fácil de se ver, em vez de em letra pequena.

Além disso, solicitou um sistema melhor de vigilância e de sanções contra as companhias que se aproveitam dos clientes. EFE cma/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG