Obama congela regulamentações pendentes

WASHINGTON - A nova administração do presidente Barack Obama anunciou nesta terça-feira o congelamento de todas as regulamentações pendentes aprovadas durante o governo de George W. Bush, até que elas sejam devidamente reexaminadas.

Redação com agências internacionais |

Rahm Emanuel, que dirige o gabinete de Obama, assinou na tarde desta terça-feira "um memorando para todos os organismos e departamentos (da administração), pedindo a suspensão de todas as regulamentações pendentes até que o governo tenha reexaminado os aspectos políticos e jurídicos" das mesmas, declarou o porta-voz de Obama, Robert Gibbs, em comunicado.

Grandes desafios

Em seu discurso de posse, o novo presidente dos Estados Unidos afirmou que os desafios do país são reais, sérios e muitos, mas serão vencidos. Nós não vamos vencê-los rápida ou facilmente, mas vamos vencê-los, disse Obama, o primeiro negro a ocupar a presidência norte-americana. Em seu discurso, ele também defendeu uma nova postura dos EUA em relação aos outros países. "O mundo mudou e precisamos mudar com ele", disse.

AP
Obama participa da posse ao lado da mulher, Michelle, e das filhas

Obama toma posse ao lado da mulher, Michelle, e das filhas

Nossa nação está em guerra, nossa economia está enfraquecida devido à irresponsabilidade e ganância de alguns, e também devido à nossa incapacidade coletiva de tomar decisões difíceis, afirmou, citando como outros indicadores da crise os problemas de educação, saúde, energia e a falta de confiança dos americanos.

Em seguida, o presidente afirmou que chegou a hora de "reconstruir a América". "O tempo chegou para reafirmarmos nosso espírito lutador. Todos são iguais, todos são livres e todos têm a chance de perseguir a felicidade."

Ele afirmou que os que questionam o "tamanho de sua ambição" esquecem das lutas históricas dos americanos. "Nós entendemos que nossa grandeza não veio sem luta. Nossa grandeza não veio nas mãos daqueles que preferem a diversão no lugar de trabalho. A nação é grande devido aos homens e mulheres que lutaram para viver uma boa vida", disse.

"Esta é a jornada que continuamos hoje. Nossa capacidade continua a mesma. Começando hoje, precisamos fazer o trabalho de reconstruir a América", disse Obama. "Nossos desafios podem ser novos. Mas os valores, lealdade e patriotismo, essas coisas são antigas. Essas coisas são verdadeiras. Elas foram a força do progresso em nossa história".

Política externa

O novo presidente também mandou uma mensagem para todos os países do mundo que estavam observando esta data histórica. "Saibam que a América é amiga de todas as nações e pessoas que procuram liberdade e paz", disse. "A América está pronta para liderar novamente".

Obama prometeu começar uma retirada responsável do Iraque e afirmou que a segurança nacional dos EUA não é fruto apenas do poder da nação, mas também da "força de nosso exemplo, nossa humildade e perseverança".

"Vamos trabalhar pela paz no Afeganistão e diminuir o perigo da proliferação nuclear. Para o mundo muçulmano, nós buscamos uma nova alternativa baseada em respeito mútuo", disse Obama, acrescentando que "os que buscam o poder através de corrupção" estarão "no lado errado da história".

AP
Milhões de pessoas foram ver a posse de Obama

Milhões de pessoas foram ver a posse de Obama

"Para o povo de nações pobres, saibam que estamos ao seu lado para levar água limpa e comida para todos. Nós não podemos ser indiferentes ao sofrimento do outro lado de nossas fronteiras. O mundo mudou e precisamos mudar com ele", disse.

Obama também buscou deixar claro que a determinação dos EUA na luta contra o terrorismo continua. "Não vamos nos desculpar por nosso estilo de vida, nem iremos ceder na sua defesa, e para os que buscam promover seus objetivos induzindo o terror e abatendo inocentes, dizemos a vocês agora que nosso espírito está mais forte e não pode ser rompido. Vocês não podem nos derrubar e nós vamos derrotá-los", afirmou.

O novo presidente encerrou seu discurso pedindo aos americanos o início de "uma nova era de responsabilidade" em suas vidas e um novo papel para o país no mundo, baseado na cooperação e no diálogo.

Dia da posse

O discurso teve início pouco após Obama fazer seu juramento como o novo presidente, em uma plataforma em frente ao Capitólio da capital americana, a sede do Legislativo federal. Com uma das mãos sobre uma Bíblia usada na posse de Abraham Lincoln, em 1861, Obama prometeu "preservar, proteger e defender a Constituição dos Estados Unidos".

O novo presidente deu sinais de que estava emocionado com a ocasião e chegou a errar um trecho do juramento, para, em seguida, se corrigir. Ao final do juramento, ele foi ovacionado pela multidão.

AP
Bush abraça o novo presidente
Bush abraça o novo presidente
Antes de chegar ao Capitólio, Obama participou de outros eventos. Por volta das 12h (horário de Brasília), ele e a mulher, Michelle, assistiram a uma missa fechada na igreja Episcopal St. John. O vice-presidente eleito, Joseph Biden, e sua mulher, Jill, também estavam presentes.

Após a missa, que durou cerca de uma hora, Obama se dirigiu à Casa Branca, onde foi recebido pelo atual presidente, George W. Bush, para um café da manhã do qual também participaram Michelle Obama e Laura Bush. Juntos, todos seguiram para o Capitólio, onde Obama foi empossado.

Segurança

Um aparato de segurança sem precedentes foi montado para a posse de Obama, e envolveu o trabalho de 58 agências federais, 12.500 soldados, 8 mil policiais e mil oficiais do Corpo de Bombeiros. O controle da operação ficou a cargo do Serviço Secreto norte-americano.

Diversas ruas e estações de metrô nas imediações da cerimônia foram fechadas e até mesmo pontes ligando o Estado vizinho de Virgínia à capital americana foram bloqueadas. O espaço aéreo da cidade foi patrulhado por aeronaves do Exército e o rio Potomac ficou cheio de embarcações armadas. Operações de emergência foram planejadas para a eventualidade de um ataque e para impedir que ele ocorresse.

Mas, de acordo com o FBI, o aparato de segurança foi montado não devido ao temor de que um ataque terrorista acontecesse, e sim devido ao elevado número de espectadores que eram esperados para a cerimônia: cerca de 2 milhões.

O público começou a chegar na esplanada em frente ao Capitólio ainda durante a madrugada, apesar do frio que fazia em Washington. Para esta terça-feira, o serviço meteorológico dos Estados Unidos estimou temperaturas em torno de -7ºC.

Assista à reportagem sobre a posse de Obama:

Análises

Opinião

Leia também:

Galerias de fotos

Vídeos

**Com informações da AFP**



    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG