Obama começa primeiro dia de trabalho rezando

Washington, 21 jan (EFE).- O novo presidente de EUA, Barack Obama, começou hoje seu primeiro dia completo no Governo com um compromisso religioso, antes de se reunir com sua equipe econômica e de fazer uma videoconferência com os comandantes militares.

EFE |

Obama e sua mulher, Michelle, se sentaram no banco frontal da Catedral Nacional, no noroeste de Washington, junto com o vice-presidente, Joe Biden, sua mulher, Jill, assim como sua escolhida para secretária de Estado, Hillary Clinton, e o marido dela, o ex-presidente Bill Clinton.

A cerimônia religiosa, uma tradição dos presidentes em seu primeiro dia de trabalho desde os tempos de George Washington, incluiu uma oração pelo país, o hino nacional, o canto de hinos religiosos e a leitura de passagens da Bíblia.

"O senhor concede ao presidente de EUA, Barack Obama, e a todos aqueles no poder, tua graça e tua boa vontade. Abençoe-os com dons divinos, conceda-os sabedoria e fortaleza para captar e para acatar sua vontade", destacou o reverendo Andy Stanley em sua oração.

Obama não se pronunciou durante a oração.

Segundo seu porta-voz, Robert Gibbs, o novo presidente começou o dia com uma visita ao Salão Oval às 8h35 locais (11h35 de Brasília), onde permaneceu durante dez minutos e leu a carta que lhe deixara seu antecessor, George W. Bush, com a mensagem "do (presidente) 43 para o 44".

Junto com sua equipe econômica, Obama reúne-se hoje para tratar das medidas contra a crise.

O presidente procura que o Congresso aprove um plano de resgate econômico que prevê o investimento em infraestrutura e novas tecnologias, dotado, em princípio, de cerca de US$ 825 bilhões.

Na videoconferência com os comandantes militares, ele pretende tratar das guerras no Iraque e no Afeganistão.

Durante sua campanha eleitoral, Obama defendeu a saída das tropas americanas do Iraque em 16 meses, e em seu discurso inaugural prometeu que durante seu mandato, os soldados dos EUA começarão "a sair do Iraque de maneira responsável". EFE mv/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG