O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou nesta quinta-feira a Oslo, na Noruega, onde participa de uma cerimônia para receber o Prêmio Nobel da Paz. Obama havia sido agraciado em outubro por seus esforços extraordinários para reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos, segundo os organizadores da premiação.

Mas a decisão chegou a ser bastante criticada por analistas, que disseram ser inapropriado dar o prêmio ao chefe de uma nação que está envolvida em duas guerras, no Iraque e no Afeganistão.

Na semana passada, Obama anunciou que os Estados Unidos vão mandar mais 30 mil soldados para combater insurgentes no Afeganistão.

Segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, o presidente americano entende que há uma "justaposição" entre o "timing" do prêmio e de sua decisão sobre o conflito contra o Talebã, e vai mencionar as guerras em seu discurso durante a cerimônia em Oslo.

Segurança e protestos
A segurança na capital norueguesa foi reforçada para a estadia de Obama.

Enquanto isso, manifestantes da causa pacifista estão reunidos em frente ao hotel onde ocorrerá a entrega do Nobel.

"Protestamos contra ele porque não achamos que ele seja um homem de paz", disse uma das manifestantes à agência de notícias France Presse.

A premiação nesta quinta-feira também incluirá os ganhadores do Nobel de literatura, química, medicina, física e economia.

Cada um deles receberá um diploma, uma medalha e 10 milhões de coroas norueguesas (cerca de US$ 1,4 milhões). A quantia é dividida entre ganhadores da mesma categoria.

Um porta-voz da Casa Branca disse, em outubro, que Obama doará o dinheiro de seu prêmio para várias entidades benificentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.