Obama ataca McCain para atrair voto feminino

O candidato democrata à presidência dos EUA, Barack Obama, lançou mão de um discurso mais agressivo em busca do voto feminino, nesta sexta-feira, ao atacar seu rival, o republicano John McCain, por querer proibir o aborto e se opor a leis de igualdade de salário.

AFP |

Em um ato de campanha em Coral Gables, na Flórida (sudeste), Obama fez sua mais virulenta ofensiva contra os antecedentes de McCain em temas que preocupam particularmente as mulheres, desde que o republicano escolheu a governadora do Alasca, Sarah Palin, como sua companheira de chapa.

No comício para cerca de 8.000 pessoas, mulheres em sua maioria, Obama também elogiou seu companheiro de chapa, o senador Joseph Biden, por ser alguém que lutou pelos direitos femininos, no momento em que os democratas tentam neutralizar o impacto de Palin na campanha.

Obama lembrou que Biden foi um dos redatores da lei contra a violência contra as mulheres, de 1994, e que teve de criar os filhos quando sua primeira mulher e o bebê faleceram em um acidente de carro, no início dos anos 1970.

"Embora as mulheres tenham sido atingidas de forma especialmente dura por essa economia, muitos dos desafios que vocês enfrentam - igualdade salarial, cuidar dos filhos, equilibrar trabalho e família - não são apenas questões das mulheres", afirmou Obama.

"Vocês pensam que resolver esses problemas é uma alta prioridade para qualquer um na disputa pela presidência nesse país. Bem, vocês não conhecem meu adversário, John McCain", alfinetou.

"Não é que o senador McCain não ligue para o que está acontecendo na vida das mulheres desse país. Gosto de pensar que é só porque ele não sabe, caso contrário, por que mais ele se oporia à legislação para ajudar as mulheres a ter igualdade salarial?", comentou o democrata.

Para Obama, McCain simplesmente "não está inteirado" dos problemas das mulheres nos Estados Unidos.

As mulheres são mais de 50% do eleitorado, e uma pesquisa divulgada ontem mostra que Obama lidera entre elas, com 54% contra 40%.

jit/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG