Obama assina lei que impõe restrições à indústria do cigarro

WASHINGTON - O presidente norte-americano, Barack Obama, assinou nesta segunda-feira um projeto de lei que, pela primeira vez, confere ao governo dos EUA poderes amplos para regulamentar os cigarros e outros produtos à base de tabaco.

Redação com agências internacionais |

AP
Na Casa Branca, Obama assina lei sobre cigarro

Na Casa Branca, Obama assina lei sobre cigarro

"Ela vai forçar essas empresas a admitirem mais clara e publicamente os efeitos prejudiciais e mortais dos produtos que vendem", disse Obama.

A nova lei estipula limites para os anúncios de cigarro e impede que produtos feitos de tabaco tenham gosto de doce ou fruta, numa tentativa de diminuir o apelo da indústria em crianças e adolescentes.

O texto também determina que a Food and Drug Administration, órgão que regula o setor nos Estados Unidos, tenha poder para diminuir a quantidade de nicotina nos produtos feitos de tabaco e bloquear dos rótulos expressões como "light" e "baixo teor". As empresas fabricantes também terão de colocar avisos sobre os perigos do cigarro nas embalagens.

Para Obama, a lei vai "salvar muitas vidas americanas". O presidente dos EUA acusou a indústria de expor os jovens à propaganda constante e de tornar o cigarro ainda mais tentador ao mascarar o sabor da nicotina e do alcatrão.

Segundo Obama, quase 90% dos americanos fumantes começou a comprar cigarros com 18 anos ou menos. "Eu fui um desses adolescentes", disse o presidente. "Eu sei o quanto é difícil acabar com esse hábito depois de tê-lo por tanto tempo".

A lei marcou o ponto culminante de uma busca lançada há mais de uma década por parlamentares adversários da indústria do tabaco para colocar os cigarros sob o controle da Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, na sigla em inglês).

(Com informações da AP e da Reuters)

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: barack obamacigarrofumo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG