Obama assina lei de finanças que o coloca em situação delicada

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou aberta nesta quarta-feira caça aos projetos incluídos por legisladores nas leis de financiamento com as quais o país não tem nenhuma relação, mas promulgou discretamente no mesmo dia uma lei cheia de tais projetos.

AFP |

Obama anunciou nesta quarta-feira ter assinado a lei dedicando 410 bilhões de dólares ao financiamento do funcionamento do Estado federal até o fim do ano orçamentário, em setembro de 2009.

Obama escolheu anunciar a notícia por comunicado, em vez de assinar o decreto durante uma cerimônia pública. O texto coloca o presidente numa situação delicada, já que contém milhares de projetos introduzidos por legisladores que nada têm a ver com a lei.

Esta prática, chamada "earmarks", é praxe no Congresso americano. Ela é normalmente utilizada por parlamentares que querem aproveitar leis para servir aos interesses particulares de suas circunscrições. Ela contradiz a promessa feita por Obama de uma gestão mais transparente.

O presidente americano deu a entender que esta é a última vez que assina uma lei com "earmarks", e disse que vai caçar a partir de agora os "earmarks" injustificados.

Obama se opôs à supressão pura e simples da prática dos "earmarks", destacando que ela permitiu financiar projetos válidos.

lal/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG