Obama anuncia expansão de exploração de petróleo nos EUA

Por Jeff Mason e Tom Doggett WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira planos para uma ampla expansão da exploração marítima de petróleo e gás, em um esforço para conquistar apoio republicano para novas leis destinadas a combater as mudanças climáticas.

Reuters |

Obama, um democrata, disse que sua administração vai considerar novas áreas para perfuração no Atlântico e no Golfo do México, enquanto "áreas sensíveis no Ártico serão estudadas e protegidas".

O presidente, que precisa de apoio dos dois partidos para aprovar um projeto que define limites para as emissões de gases-estufa dos EUA, afirmou que a expansão da exploração de petróleo não representa uma resposta definitiva para os desafios energéticos dos EUA.

"Explorar somente não vai resolver nossas necessidades energéticas a longo prazo, e (...), para o bem do planeta e da nossa independência energética, precisamos começar a transição para energias limpas agora", disse Obama em discurso.

"Sei que juntos podemos aprovar uma legislação energética e climática abrangente, que vai alimentar novas indústrias e criar milhões de novos empregos protegendo o nosso planeta e nos ajudando a ser independentes energeticamente."

Por mais de 20 anos, a exploração foi proibida na maior parte da costa dos EUA fora do Golfo do México devido a preocupações ambientais.

O governo Obama tem avaliados os prós e contras da exploração marítima e impôs restrições a uma proposta da era Bush que propunha a exploração ao longo da costa leste e também em frente ao Estado da Califórnia.

Uma autoridade do Departamento do Interior disse que o departamento vai conduzir o primeiro leilão de petróleo e gás no oceano Atlântico em mais de duas décadas, numa região a 80 quilômetros da costa da Virgínia.

Republicanos criticaram o plano, afirmando que não abrange os maiores recursos de energia na costa do país.

"Abrir áreas da costa da Virgínia para a produção é um passo positivo, mas manter de fora a costa do Pacífico e do Alasca, assim como os recursos promissores no Golfo do México, não faz sentido num momento em que os preços da gasolina estão subindo e os americanos estão perguntando: 'onde estão os empregos?'", disse o líder republicano na Câmara dos Representantes, John Boehner.

(Reportagem adicional de Steve Holland, Matt Spetalnick, Alister Bull e Tim Gardner)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG