Obama anuncia equipe econômica amanhã

María Peña. Washington, 23 nov (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, apresentará amanhã sua equipe econômica liderada por Timothy Geithner como secretário do Tesouro, no marco de várias medidas para aliviar a ansiedade dos mercados e da opinião pública pela crise financeira mundial.

EFE |

As declarações foram feitas hoje pela equipe de transição de Obama, ao afirmar que o anúncio oficial sobre Geithner e o resto da nova equipe econômica será realizado durante uma entrevista coletiva em Chicago (Illinois) às 11h (15h de Brasília).

Segundo anteciparam hoje membros de sua equipe, Lawrence Summers, secretário do Tesouro durante a Administração de Bill Clinton, voltará a Washington como diretor do Conselho Econômico Nacional, outro cargo de alta visibilidade no Executivo.

A equipe será apresentada depois que no sábado, durante um discurso transmitido por rádio e no site "YouTube", Obama delineou um ambicioso plano de estímulo para criar 2,5 milhões de empregos até janeiro de 2011.

A designação da equipe econômica, somada às medidas de reativação da economia, deixam claro o desejo de Obama de preencher o vazio de liderança entre o saliente Governo de George W. Bush e sua Administração, que terá início em 20 de janeiro.

David Axelrod, estrategista da campanha presidencial e próximo assessor político de alta categoria de Obama, participou hoje de vários programas da televisão americanos para defender a agenda econômica do presidente eleito.

Em declarações à cadeia "Fox", Axelrod afirmou que Geithner e Summers figuram entre "os melhores cérebros" que o país tem para fazer frente à crise atual.

Sobre Geithner, Axelrod disse que "é alguém que teve experiência com as crises econômicas como secretário adjunto do Tesouro para Assuntos Internacionais durante os anos 90".

"Ele está intimamente envolvido com a situação agora em seu papel como presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de Nova York", declarou Axelrod.

"Por sua experiência e temperamento, ele é o homem correto para liderar o (Departamento do) Tesouro", ressaltou.

As primeiras informações não oficiais sobre a designação de Geithner motivaram Wall Street na sexta-feira.

Por outro lado, Axelrod não quis negar nem confirmar que o governador do Novo México, Bill Richardson, será nomeado secretário de Comércio, como foi comentado nos últimos dias.

Richardson "é alguém por quem o presidente eleito tem muito respeito, mas não é necessariamente uma nomeação que vamos anunciar em nenhum momento nos próximos dias", afirmou.

Axelrod também não quis comentar sobre a escolha de Hillary Clinton, ex-adversária de Obama nas primárias, como secretária de Estado.

Obama deve anunciar sua equipe de segurança nacional, no qual estaria Clinton, depois do Dia de Ação de Graças, que será celebrado na próxima semana.

Até janeiro Obama terá que designar 300 secretários, subsecretários e secretários adjuntos e realizar 2.500 nomeações políticas, mas por enquanto sua fixação é impulsionar uma ambiciosa agenda econômica, consciente de que, segundo disse no sábado, a economia piorará no ano que vem.

Seu plano econômico procura responder aos múltiplos desafios que os EUA enfrentam, já que o país perdeu 1,2 milhão de empregos neste ano e as crises financeira, imobiliária e de crédito abalaram a confiança dos consumidores.

O plano de pelo menos US$ 175 bilhões incluiria, tal como prometeu durante a campanha, uma série de cortes tributários e um aumento dos gastos públicos.

Segundo explicou Obama, trata-se de um plano nacional de dois anos que, na realidade, é um primeiro passo para o tipo de reforma que seu Governo trará a Washington a partir de janeiro, e que certamente terá o apoio da maioria democrata no Congresso, que iniciará sua 111ª sessão legislativa na semana de 6 de janeiro. EFE mp/ab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG