O presidente americano, Barack Obama, ampliou nesta quinta-feira as sanções aplicadas contra o Irã em 1995, depois que os Estados Unidos acusaram Teerã de envolvimento com terroristas e tentativa de fabricação de armas de destruição em massa.

As sanções, que proíbem companhias americanas de ajudar o desenvolvimento da indústria petrolífera iraniana, foram impostas durante o governo de Bill Clinton, e expirariam em breve.

"As ações e políticas do governo do Irã são contrárias aos interesses dos Estados Unidos na região, e representam uma ameaça contínua e extraordinária", afirmou Obama, em uma mensagem dirigida ao Congresso.

col/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.