Obama: Al-Qaeda e Talibã não ficarão impunes

O presidente americano, Barack Obama, prometeu não deixar que a Al-Qaeda opere impunemente no Afeganistão, e afirmou que será necessário um esforço coordenado para acabar com os refúgios do Talibã e de outros grupos rebeldes no país, falando na primeira entrevista coletiva de seu mandato, nesta segunda-feira.

AFP |

Enquanto seu governo revê a política americana para o Afeganistão ponto a ponto, Obama destacou os êxitos dos Estados Unidos no Iraque e disse que o Afeganistão ainda não mostrou o mesmo empenho para expulsar militantes da Al-Qaeda e do Talibã.

"Acho que, por causa do trabalho extraordinário que foi feito por nossas tropas, e do ótimo esforço diplomático realizado pelo embaixador (Ryan) Crocker (...), acabamos de ver no Iraque uma eleição que aconteceu de maneira relativamente pacífica, e você tem a sensação de que o sistema político está agora funcionando de modo significativo", estimou o presidente.

"Você ainda não vê isso no Afeganistão. Eles têm eleições se aproximando, mas, efetivamente, o governo nacional parece muito desconectado do que está acontecendo na comunidade que o cerca", continuou.

Obama também mencionou o fato de combatentes da Al-Qaeda e do Talibã operarem em regiões da fronteira com o Paquistão.

"O que não temos visto é o tipo de esforço coordenado para acabar com esses refúgios seguros, o que, em última análise, tornaria nossa missão vitoriosa", ressaltou.

"Vamos precisar de uma coordenação mais eficaz de nossos esforços militares, diplomáticos e de desenvolvimento, e de uma coordenação mais eficaz com nossos aliados para sermos bem sucedidos".

"Eu não tenho um cronograma sobre o tempo que isso vai levar. O que eu sei é que não vou deixar a Al-Qaeda e (Osama) bin Laden operarem impunemente atacando os Estados Unidos", declarou Obama.

"O principal é que não podemos deixar a Al-Qaeda operar, não podemos ter refúgios naquela região. E vamos precisar trabalhar de forma inteligente e consistente", indicou.

ksh/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG