Obama admite indicações políticas em Embaixadas dos EUA

Washington, 9 jan (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, admitiu hoje que poderia fazer indicações políticas para comandar algumas Embaixadas do país, mas confirmou que a maior parte dos postos ficará com diplomatas de carreira.

EFE |

Em entrevista coletiva, Obama afirmou que pretende nomear diplomatas de carreira em "todas as Embaixadas em que isso for possível".

No entanto, admitiu que "não seria sincero" se afirmasse que não fará nomeações políticas em alguns casos.

Tradicionalmente, os presidentes americanos utilizaram os postos de embaixador nas principais capitais ou em países "cômodos" como recompensa política.

Atualmente, as nomeações políticas representam cerca de um terço nas Embaixadas americanas.

Obama assinalou que ainda não terminou de pensar a lista de nomeações que fará para postos diplomáticos assim que chegar à Casa Branca, em 20 de janeiro, e antecipou que se centrará primeiramente nas Embaixadas em locais mais conflituosos, como o Iraque.

O atual embaixador em Bagdá, Ryan Crocker, "é um dos grandes heróis em um segundo plano" que permitiram uma melhora da situação no país árabe, mas está há muito tempo em seu posto e em condições difíceis, assegurou Obama.

O presidente eleito afirmou que uma de suas metas é rejuvenescer o Departamento de Estado, o que já mencionou sua escolhida para ocupar essa pasta, Hillary Clinton. EFE mv/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG