Obama admite chamar republicanos para formar o governo

SUNRISE, EUA (Reuters) - O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, disse que pode convidar republicanos para participar de seu governo se ganhar a eleição presidencial norte-americana da próxima semana. Obama também afirmou ter algumas idéias bastante boas sobre ocupantes do primeiro escalão do governo, embora tenha enfatizado que sua prioridade ainda é a reta final da campanha, e que a vitória não está garantida, apesar da sua liderança nas pesquisas.

Reuters |

"Há um processo de transição -- para o qual não estou prestando atenção diariamente, mas que precisa ser estabelecido", disse o democrata à ABC News, na quarta-feira.

Obama disse ser "absolutamente" importante ter republicanos no gabinete, mas evitou especular sobre a permanência, por exemplo, do secretário de Defesa, Robert Gates. Há rumores de que tanto Obama quanto o republicano John McCain estariam dispostos a preservá-lo no Pentágono.

Obama é o favorito nas pesquisas dos EUA
"Não vou entrar em detalhes", disse Obama, acrescentando, porém, que a política de segurança nacional deveria ser um tema bipartidário.

Outras pessoas cotadas para ocupar a pasta da Defesa no eventual governo Obama são o ex-secretário da Marinha Richard Danzig e o senador republicano Chuck Hagel.

Alguns analistas defendem que durante a transição -- entre a eleição, em 4 de novembro, e a posse, em 20 de janeiro -- o presidente eleito deveria indicar rapidamente os novos secretários de Tesouro, Defesa e Estado, o que evitaria especulações envolvendo a crise financeira global e as guerras do Iraque e Afeganistão.

"Não quero queimar a largada a respeito disso", afirmou Obama, que, no entanto, elogiou o governo Bush por oferecer os recursos do governo para que os candidatos iniciem logo o processo de seleção dos secretários.

(Reportagem de Caren Bohan)

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG