Washington, 22 dez (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou hoje que atrasará seu recesso de fim de ano no Havaí por causa da votação da reforma da saúde no Senado.

Em declarações na Casa Branca durante uma reunião com representantes de bancos de pequeno porte, Obama disse que quer estar à disposição caso ocorram contratempos de última hora no processo de votação da reforma, sua maior prioridade legislativa.

O Senado talvez vote as mudanças no sistema de saúde na tarde de quinta-feira, e o presidente disse que quer estar por perto para "dar seu incentivo".

"Não irei embora até que meus amigos do Senado concluam seu trabalho", ressaltou o chefe de Estado, que disse que "o mínimo" que pode "fazer é ficar" em Washington para "dar qualquer ajuda de última hora ou qualquer incentivo".

Inicialmente, Obama, a mulher, Michelle, e as duas filhas, Sasha e Malia, partiriam amanhã para o Havaí, onde passarão o Natal e o Ano Novo.

Hoje, o Senado aprovou, com 60 votos a favor e 39 contra, a segunda de três moções necessárias à votação da reforma da saúde no plenário da casa.

Os procedimentos prévios à apreciação do projeto de lei pelos senadores terminarão amanhã, por isso a iniciativa de Obama só deverá ser votada na quinta.

Em sua entrevista coletiva diária, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse estar otimista em relação à aprovação da reforma no Senado.

"Já não está mais em questão se (a reforma) vai ou não ser aprovada. A questão agora é quando ela vai ser aprovada", disse o porta-voz.

Caso o Senado aprove o projeto de lei, a versão final do texto terá que ser harmonizada com a da Câmara de Representantes antes de ser sancionada por Obama. EFE mv/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.