O que os EUA pensam dos líderes mundiais, segundo o Wikileaks

Sarkozy seria autoritário, enquanto Berlusconi seria inábil, Putin se comportaria como um macho alfa e Chávez seria louco

AFP |

Reuters
Esq.-dir: Muamar Kadafi; Nicolas Sarkozy; Angela Merkel; Kim Jong-il; Hamid Karzai; Putin; rei Abdullah; Hugo Chávez; Ahmadinejad; Wen Jiabao; Berlusconi; David Cameron
Os diplomatas são conhecidos pelo tom politicamente correto de suas declarações públicas, mas documentos secretos americanos divulgados pelo site Wikileaks revelam o que os funcionários de Washington falariam dos líderes mundiais a portas fechadas.

As centenas de milhares de documentos diplomáticos secretos, divulgados pelo Wikileaks a vários jornais do mundo revelam descrições pouco amistosas de líderes mundiais.

Leia, a seguir, as de maior destaque:

- Presidente da Argentina, Cristina Kirchner. O jornal El País, de Madri, disse que um dos documentos recebidos do site Wikileaks diz que o Departamento de Estado americano pediu à embaixada em Buenos Aires informações sobre "o estado de saúde mental" da presidente.

- Presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Um vice-secretário americano, Philip Gordon, relembrou uma conversação com o conselheiro presidencial francês, Jean-David Lévitte, na qual este diz que o presidente venezuelano está "louco", sendo que até mesmo o Brasil não podia apoiá-lo. Outro documento mostra que a diplomacia americana trabalhou para isolar o presidente venezuelano.

- Primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi. Um importante diplomata o descreve como "irresponsável, vão e pouco eficaz como líder europeu moderno". Outro documento o descreve como "frágil física e politicamente" por não descansar apropriadamente por causa das festas que dá até altas horas da madrugada.

- Presidente afegão, Hamid Karzai. Um documento o descreve como "extremadamente frágil" e passível de acreditar em teorias conspiratórias. Karzai mantém uma relação difícil com o presidente americano, Barack Obama.

- Líder líbio, Muamar Kadafi. Um texto diz que Kadafi é "quase obsessivamente dependente de um pequeno núcleo de funcionários de confiança" e aparentemente não pode viajar se não o fizer acompanhado de uma "voluptuosa" enfermeira ucraniana. Acredita-se que Kadafi tenha medo de voar sobre o mar e de pernoitar em andares altos de edifícios.

- Presidente russo, Dmitri Medvedev. Apesar de ser oficialmente o chefe de Estado, a embaixada americana em Moscou diz que Medvedev "é o Robin do Batman, (o primeiro-ministro Vladimir) Putin". O premiê russo, por sua vez, comporta-se como um "macho alfa".

- Chanceler alemã, Angela Merkel. Um documento a considera "contrária à tomada de riscos e raramente criativa". Seu ministro das Relações Exteriores, Guido Westerwelle, teria uma "personalidade exuberante", mas pouco conhecimento de política externa.

- Presidente francês, Nicolas Sarkozy. A embaixada dos Estados Unidos em Paris acredita que o presidente é "suscetível e autoritário", destacando suas críticas a colaboradores. Segundo relato do jornal Le Monde, o líder francês "se irrita com facilidade".

    Leia tudo sobre: euawikileaksJulian Assangedocumentos diplomáticos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG