O papa pede atenção a refugiados em Dia do Imigrante

Cidade do Vaticano, 8 out (EFE).- O papa Banto XVI pediu hoje atenção prioritária a refugiados, foragidos, indefesos, marginalizados e vítimas da escravidão moderna, e conclamou convivência pacífica entre etnias, culturas e religiões.

EFE |

O papa fez este pedido em sua Mensagem para a 95º Dia Mundial do Imigrante e do Refugiado, em 18 de janeiro, cujo lema é "São Paulo imigrante, apóstolo dos povos", e foi apresentado hoje pelo cardeal Renato Martino, presidente do Conselho Pontifício para o Pastoral dos Imigrantes.

O Pontífice elegeu São Paulo devido ao ano 2000 aniversário do nascimento do Apóstolo dos gentios.

O Bispo de Roma ressaltou que Paulo, com suas viagens apostólicas, foi um "autêntico missionário dos imigrantes, e embaixador itinerante de Jesus Cristo".

Bento XVI ressaltou que a Igreja está aberta a todossem distinção de culturas e de raça. Por isso, disse, "é preciso cuidar das pessoas que se encontram em penúrias ou em condições difíceis, especialmente entre os refugiados e os foragidos.

O cardeal Martino manifestou que o movimento migratório, favorecido pela globalização, adquiriu dimensões notáveis e que já são 200 milhões as pessoas que vivem fora de seus países de origem, "empurradas pela miséria, a fome, a violência, as guerras, as rivalidades étnicas e o desejo de encontrar uma vida melhor".

"O problema não se resolverá fechando as fronteiras, mas acolhendo com justo regulamento, equilibrado e solidário os fluxos migratórios por parte dos estados", ressaltou.

Por sua vez, o arcebispo Agostino Marchetto condenou o racismo, o nacionalism,o exasperado e lamentou que visões humanitárias dêem lugar a medidas restritivas, como vistos de entrada. EFE jl/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG