O desejo carnal complica a vida, segundo o Dalai Lama

O Dalai Lama estimou nesta sexta-feira que o desejo carnal, voltado para uma satisfação imediata, complica as coisas, enquanto que a castidade proporciona grande independência e tranqüilidade dr espírito.

AFP |

"A tensão sexual, o desejo sexual, acho, proporcionam uma satisfação instantânea e, com freqüência, conduzem a muitas complicações", explicou o chefe espiritual dos tibetanos durante entrevista a jornalistas, entre eles o da AFP, por ocasião de uma visita particular à Nigéria.

Num hotel de Lagos, o Dalai Lama explicou que a vida de casal tinha "muitos altos e baixos".

"Naturalmente, enquanto seres humanos (...) uma espécie de desejo sexual acontece mas, então, usa-se a inteligência humana para constatar que esses casais têm sempre problemas. Em alguns casos, há suicídios, mortes".

"Então, é essa nossa consolação. Passamos por cima de alguma coisa mas se compararmos essa situação em relação a uma vida inteira, é melhor. Mais independência, mais liberdade", considerou o prêmio Nobel da paz acrescentando que a abstinência causava "muito menos altos e baixos".

"Muito agarramento aos filhos, à parceira (...) é um dos obstáculos à tranquilidade de espírito", segundo o Dalai Lama que citou o exemplo dos casais que envelhecem se preocupando com a morte próxima.

Pregando o "desapego", destacou, no entanto, que o desejo, quando não é carnal, é um sentimento sem o qual "a vida não teria sentido".

O Dalai Lama conclui uma visita de três dias à Nigéria onde foi convidado por uma fundação para pronunciar uma conferência. Negou-se a fazer declarações políticas, destacando o caráter privado da viagem.

smo/jlh/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG