O astrofísico Stephen Hawking hospitalizado de emergência

O astrofísico britânico Stephen Hawking, que padece de uma enfermidade degenerativa diagnosticada há mais de 40 anos, está muito doente e foi hospitalizado de emergência, anunciou um porta-voz da Universidade de Cambridge.

AFP |

"O professor Hawking está muito doente e foi levado para o hospital de Addenbrooke, em Cambridge", declarou o porta-voz. "Ele se sentia mal há várias semanas".

Stephen Hawking, de 67 anos, mundialmente conhecido por seus trabalhos sobre o universo, é o autor de "Uma breve história do tempo", um dos maiores sucessos da literatura científica.

Portador de esclerose lateral amiotrófica desde os 22 anos, Hawking se movimenta numa cadeira de rodas especial e se comunica através de um computador e um sintetizador vocal.

Stephen William Hawking nasceu em Oxford, Inglaterra, em 8 de Janeiro de 1942. Em 1959, entrou para a University College, Oxford, onde pretendia estudar matemática, entrando em conflito com o pai que gostaria que estudasse medicina. Acabou optando por física, fazendo o doutorado na Trinity Hall em Cambridge no ano de 1966, onde é atualmente um membro honorário. Nesta época foi diagnosticada em Stephen W. Hawking a doença degenerativa.

Foi pesquisador e, mais tarde, professor nos Colégios Maiores de Gonville e Caius. Depois de abandonar o Instituto de Astronomia em 1973, Stephen entrou para o Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica e, desde 1979, ocupa o posto de professor lucasiano de Matemática, cátedra que chegou a ser ocupada por Newton.

Em 1985 foi submetido a uma traqueostomia em decorrência do agravamento da doença e, desde então, utiliza um sintetizador de voz para se comunicar. Gradualmente, foi perdendo o movimento dos braços e pernas, assim como do resto da musculatura voluntária, incluindo a força para manter a cabeça erguida.

Em 9 de janeiro de 1986, foi nomeado pelo papa João Paulo II membro da Pontifícia Academia das Ciências.

Seus principais campos de pesquisa são cosmologia teórica e gravidade quântica. Sugeriu um dia que, após o Big Bang, miniburacos negros foram formados. Com Bardeen e Carter, ele propôs as quatro leis da mecânica de buraco negro, fazendo uma analogia com termodinâmica. Em 1974, ele calculou que buracos negros deveriam, termicamente, criar ou emitir partículas subatômicas, conhecidas como radiação Hawking, além disso, demonstrou a possível existência de miniburacos negros.

O asteróide 7672 Hawking é assim chamado em sua homenagem.

cyb/cn/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG