Vítimas do Katrina perdem moradia temporária

NOVA ORLEANS - Earnest Hammond, um caminhoneiro aposentado, não recebeu nenhum dinheiro do que foi enviado aos donos de imóveis depois dos furacões Katrina e Rita.

The New York Times |

NYT
Hammond recolhe latas de alumínio para pagar reformar de seu apartamento

Hammond recolhe latas para pagar reforma de apartamento

Ele não se qualificou para um programa federal e foi informado que perdeu o prazo para outro. Mas ele conseguiu um trailer para morar enquanto põe em prática seu plano de recuperação: recolher latas de alumínio para pagar pela reforma de seu apartamento.

O processo é lento e contínuo (antes que o preço do alumínio caísse de 85 para 30 centavos a libra ele havia acumulado mais de US$ 10 mil). Mas apesar do progresso, na sexta-feira passada um trabalhador da Agência de Gerenciamento de Emergências (Fema, na sigla em inglês) lhe entregou uma carta informando que ele em breve perderá o trailer. "Eu não tenho para onde ir", disse Hammond, 70.

Apesar de mais de 4 mil proprietários de imóveis da Louisiana terem recebido dinheiro para a reconstrução de suas casas apenas nos últimos seis meses, ou estarem lutando com fundos inadequados ou nenhuma ajuda, a Fema irá tomar seus trailers até o final de maio. A agência planeja desmantelá-los e vendê-los por uma fração do preço que pagou.

"Tudo que posso dizer é que este é um programa temporário, que sempre almejou ser um programa temporário e a certa altura todo programa temporário precisa terminar", disse Brent Colburn, diretor de assuntos externos da agência. Ele disse que não haverá prorrogações.

Na semana passada, dois grupos ainda faziam parte do programa de moradia temporária da agência: mais de 3 mil em trailers e quase 80 que estavam em hotéis pagos pela Fema desde maio do ano passado, quando outros grupos de trailers foram fechados. A maioria é composta por idosos, deficientes ou ambos.

A Fema afirma que fez tudo que podia para ajudar na moradia temporária. Eles insistem que têm trabalhado "continuamente" para ajudar famílias em trailers e hotéis a encontrar soluções permanentes.

Oficiais da agência também dizem que os moradores podem comprar seus trailers, muitas vezes por tão pouco quanto US$ 300. Mas quase todos os moradores entrevistados disseram que se ofereceram para isso mas receberam a resposta de que não podem fazê-lo.

Jane Batty, que vive em um trailer, não ficou surpresa. "Há apenas uma forma de categorizar este tipo de comportamento: loucura", ela disse. "Eles sempre têm uma resposta diferente ou alguma ideia diferente para nos tirar dos trailers que já concordamos em comprar".

Leia mais sobre Katrina

    Leia tudo sobre: katrina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG