Utilizados pelo narcotráfico, cavalos são abandonados nos EUA

Depois de entrar com droga pela fronteira com o México, animais sofrem com péssimas condições e têm de receber tratamento

The New York Times |

Encontrados cambaleantes e sozinhos no deserto, com costelas visíveis e cabeças penduradas, os cavalos têm um papel desvalorizado na indústria multibilionária do contrabando de drogas.

Os traficantes mexicanos amarram fardos pesados contendo maconha ou outras drogas ilegais às costas dos cavalos e os enviam para o norte através de passagens montanhosas e desérticas de terrenos difíceis.

The New York Times
Com pouca comida e água, alguns entram em colapso sob suas pesadas cargas. Outros são soltos quando o contrabando chega a locais como o Arizona
Com pouca comida e água, alguns entram em colapso sob suas pesadas cargas. Outros são soltos quando o contrabando chega a locais como o Arizona, onde a carga é passada para veículos com mais potência.

"Nós encontramos entre 15 e 20 cavalos por mês, mas muitos mais cruzam a fronteira", disse Brad Cowan, que passou 28 anos como oficial de rebanho no Departamento de Agricultura do Arizona antes de se aposentar há alguns meses. "Eles usam equipamentos mal instalados. É óbvio que não são bem tratados. As selas improvisadas criam grandes feridas em suas costas".

Mesmo depois de resgatados, os animais enfrentam um futuro incerto. Como não são provenientes dos Estados Unidos, o Estado do Arizona precisa extrair seu sangue e realizar uma bateria de testes para garantir que não possuem nenhuma doença que possa infectar animais domésticos.

Em seguida, os cavalos são leiloados e alguns são comprados e enviados de volta ao México para o abate. Outros têm mais sorte. Eles são comprados por organizações de resgate de equinos, que ajudam a encontrar lares para eles.

"Eu ficava com raiva quando via a condição em que estavam esses cavalos", disse Cowan. "Os traficantes compravam ou roubavam eles no lado mexicano e faziam-nos trabalhar quase até a morte. Eles têm feridas horríveis que podem levar meses para curar".

The New York Times
Cavalo usa amortecedores no casco, durante reabilitação no Arizona
Ele lembrou de um cavalo com que se deparou no condado de Pima, não muito longe da fronteira com o México, que tinha ferimentos profundos na pele, estava claramente subnutrido e tão fraco que ele estava tentando sentar sobre sua extremidade traseira para suportar o peso de suas pernas. Ele e um colega de trabalho tiveram de colocar o cavalo sobre um caminhão.

Alguns dos cavalos abusados acabam de volta na região acidentada da fronteira onde foram encontrados, disse Cowan. Em vez de contrabando, porém, são utilizados pelas agências da lei para perseguir os traficantes que os maltrataram.

*Por Marc Lacey

    Leia tudo sobre: euaméxicodrogascavalostráficoarizona

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG