Um teste simples para detectar tecido de sistema nervoso na carne bovina

Para proteger as pessoas contra a variação humana da doença da vaca louca, dizem especialistas em saúde, é crucial manter o tecido do sistema nervoso central do gado de corte fora da produção de alimentos. E isso significa controles e testes em matadouros, onde há o risco de que esse tecido se misture quando os animais são mortos e processados.

The New York Times |

Testar a presença de tecido do sistema nervoso central tem sido uma tarefa tediosa, envolvendo cromatografia, análises de reação em cadeia de polimerase ou outras técnicas de laboratório. O que se precisa é de um teste simples que possa ser realizado em carcaças de gado ou produtos de carne, rapidamente e em tempo real.

E esse teste pode estar próximo da realidade. Cientistas do Departamento de Agricultura e da Universidade Estadual do Iowa relatam, em The Journal of Agricultural and Food Chemistry, que detectaram o tecido nervoso em carcaças de gado com um método baseado na fluorescência.

A técnica, desenvolvida por Jacob W. Petrich e colegas, aproveita o fato de que tecidos nervosos contém altas concentrações de um composto, Lipofuscin, que brilha quando exposto à luz. Analisando-se a fluorescência com um espectrômetro, o método pode detectar até mesmo pequenas quantidades do tecido em uma carcaça.

- Henry Fountain

    Leia tudo sobre: vaca louca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG