Troca de farpas durante primárias pode enfraquecer partido nas eleições gerais

O presidente Carter e o senador Edward M. Kennedy eram duros adversários com uma história negativa e isso fez com que, na campanha presidencial de 1980, este fator se tornasse uma disputa amarga pela indicação. O governo de Carter desafiou o patriotismo de Kennedy e se recusou ao debate, na medida em que Kennedy seguia com a disputa durante nove meses, até a realização da convenção democrata. Um Carter enfraquecido prevaleceu, venceu a indicação mas perdeu as eleições gerais de novembro daquele ano.

The New York Times |



    Batalhas na convenção freqüentemente são tragédias para um partido. A experiência de 1980 para democratas ¿ bem como a briga em 1968, e uma em 1976 para entre republicanos ¿ sugere que uma conturbada primária durante o ano pode acarretar em uma derrota nas eleições gerais de novembro.

    Hoje, democratas com os nervos pegando fogo estão com medo que essa mesma história se repita, já que a senadora Hillary Rodham Clinton, que se encontra atrás em número de delegados e voto popular, se recusou a conceder a nomeação para seu rival, o senador Barack Obama. Embora seja crescente o rancor que permeia a campanha, Hillary insiste que permanecerá no jogo até que a votação seja completada.

    O ex-presidente Bill Clinton reforçou esse argumento no último domingo. Há uma idéia que, por haver um debate vigoroso sobre quem será o melhor presidente, vamos enfraquecer esse partido nas eleições gerais, afirmou. Fiquem tranqüilos.

    Com todas as sirenes que alertam para o desastre, a história oferece um guia conflituoso que mostra se o espírito das primárias é fatal para as eleições do final do ano. Muitos historiadores e analistas dizem que, embora o período de prévias possa enfraquecer um determinado candidato, geralmente fatores mais significantes estão de fato em jogo. Eles levam em conta se as batalhas nas prévias são políticas ou pessoais e querem ver se vencedores e perdedores conseguem colocar um ponto final no impasse. Logo, o tempo nessa conjuntura pode fazer toda a diferença.

    Ninguém, entretanto, sabe de fato onde está o ponto crucial e se o candidato escolhido deste ano estará enfraquecido para se defender do senador John McCain, provável candidato republicano, em um ano que pesquisas sugerem ser democrata.

    Há interessantes padrões de disputas até a convenção que enfraquecem os partidos nas eleições gerais, disse Ted. Widmer, historiador da Universidade Brown. Mas não acho que isso acontecerá este ano. Todos os problemas do país favorecem os democratas. A instável economia, a guerra no Iraque. Um vasto número de democratas está pronto para votar em qualquer um, menos em um candidato republicano. Para perder essas eleições, o Partido Democrata teria que trabalhar muito.

    -Katharine Q. Seelye e Julie Bosman

    Leia mais sobre: eleições nos EUA

      Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG