Transporte de turbinas de vento se mostra lento e perigoso

BELFAST, Maine - Nas estradas americanas, turbinas de vento podem ser a mais pesada das cargas.

The New York Times |

Caminhões carregando lâminas prateadas do tamanho da metade de um campo de futebol tem atravessado esta pacata cidade litorânea durante todo o verão, parando o trânsito conforme são conduzidas lentamente pela estrada.

Escoltados por carros de patrulha e observados por pedestres, os equipamentos geralmente têm que viajar centenas de quilômetros dos portos ou fábricas para destinos remotos e cheios de vento onde as turbinas serão erguidas.

Em Belfast, autoridades trabalham muito para evitar os transtornos, mas cerca de 200 caminhões irão passar por aqui este ano a caminho do oeste de Maine, levando peças que foram trazidas da Dinamarca e do Vietnã.

Muito pode dar errado apesar de meses de planejamento. Em Idaho e Texas, caminhões carregados com peças de turbinas altas bateram em viadutos interestaduais, exigindo centenas de milhares de dólares em consertos. Em Minnesota, uma mulher foi morta em setembro quando seu carro, dirigido por seu marido, bateu em um caminhão que carregava uma turbina de vento em um cruzamento.

Maine teve sua própria falha técnica dois anos atrás, depois que um caminhão carregando uma enorme peça de turbina ficou preso durante muitas horas enquanto tentava dobrar uma esquina perto de Searsport, um porto perto de Belfast que recebe muitas peças de turbina do exterior.

"Deixou um belo buraco na Rota 1", lembra Ben Tracy, que trabalha por perto em uma loja de equipamentos marinhos e viu o incidente.

O custo do transporte e logística gira em torno de US$ 100 mil e US$150 mil por turbina, de acordo com John Dunlop, engenheiro da Associação Americana de Energia Eólica. Wolfgang Neuhoff, gerente de projetos da TransCanada que está desenvolvendo a fazenda de vento do Maine, indicou que seus números estão provavelmente acima destes, mas se recusou a ser específico.

Os peritos dizem que a logística de transporte está começando a limitar quão grande (e como resultado disso, quão poderosas) podem ser as turbinas de vento. Algumas lâminas já têm mais de 50 metros e estão "chegando ao limite do que se pode transportar entre Estados ou em trens", disse Peter Stricker, vice-presidente de desenvolvimento de projeto estratégico da Clipper Windpower.

Há possibilidade de se quebrar uma lâmina em muitos pedaços, mas "essa é uma preocupação estrutural muito grande", disse Stricker.

Leia mais sobre turbinas de vento

    Leia tudo sobre: energiatransporte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG