Tragédia de dançarina chinesa mancha beleza da cerimônia de abertura da Olimpíada

PEQUIM - Uma talentosa dançarina chinesa se machucou seriamente durante um ensaio para a cerimônia de abertura da Olimpíada de Pequim 12 dias antes do evento e agora enfrenta a possibilidade de ficar paralisada para o resto da vida.

The New York Times |

Os organizadores da cerimônia de abertura pareciam não querer revelar ou deixar que o acidente manchasse a beleza do espetáculo. Eles inicialmente pediram que amigos e familiares da jovem não revelassem o acontecido antes do evento da última sexta-feira que mostrou a proeminência da China no palco mundial, de acordo com pessoas que visitaram a dançarina no hospital.

Mas depois de uma investigação do The New York Times sobre o acidente e rumores a respeito na internet, membros do Comitê Olímpico de Pequim visitaram a jovem no hospital na segunda-feira com uma equipe de televisão e disseram que irão fazer o possível para ajudá-la. Eles também anunciaram que realizarão uma coletiva de imprensa em breve para fornecer mais detalhes sobre sua condição.

Acidente

Liu Yan, considerada uma das maiores dançarinas clássicas da China, se preparava para a apresentação de sua vida: dançar o único solo do espetáculo de quatro horas que seria acompanhado por mais de um bilhão de pessoas.

Mas no dia 27 de julho, durante um ensaio no Estádio Nacional de Pequim, conhecido como Ninho de Pássaro, ela se curvou sobre plataforma móvel e caiu por três metros aterrissando sobre barras de ferro e ferindo sua espinha, de acordo com membros da família.

Ela foi levada ao hospital militar local onde passou por seis horas de cirurgia, mas agora sofre de graves danos neurológicos e a sua espinha.

Sua cabeça não ficou muito ferida e agora ela consegue mover os braços, mas não sente nada abaixo do peito e não consegue mover as pernas. Os médicos disseram à família que ela provavelmente não voltará a andar.

Durante uma entrevista no quarto de hospital na quarta-feira, Liu  com os olhos embargados de lágrimas disse que ainda não acredita no acidente.

"Eu nunca imaginei que tamanha tragédia poderia acontecer comigo", ela disse.

A maior parte da mídia chinesa não relatou o acidente, apesar do Diário do Povo, o órgão oficial do Partido Comunista, ter mencionado o acontecido numa pequena nota na terça-feira.

Por DAVID BARBOZA

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG