Topless de dançarinas causa polêmica na Tailândia

Choque provocado por jovens que mostraram os seios revela nuances de uma das sociedades mais liberais da Ásia

The New York Times |

Para milhões de turistas, a capital da Tailândia, Bangcoc, é conhecida por sua tolerância e por sua famosa vida noturna.

Mas um escândalo nacional envolvendo várias meninas que fizeram topless durante as comemorações do festival da água, conhecido como Songkran , ressaltou os limites do comportamento aceitável e as nuances da moralidade pública no país.

AP
Jovens jogam água uns nos outros durante o festival conhecido como Songkran em Bangcoc, na Tailândia (15/04)

As jovens foram filmadas dançando ao som de batidas fortes da música local no coração de Bangcoc, na sexta-feira, e o vídeo foi amplamente divulgado. Um clipe foi visto por quase 1 milhão de pessoas antes de ser removido. Relatos sobre o episódio chegaram aos principais sites de notícias do país e a polícia iniciou uma investigação. De repente, uma das sociedades mais socialmente liberais da Ásia mostrou um lado profundamente conservador.

"Vamos tomar medidas legais contra elas", disse um oficial da polícia, o major-general Suwat Jangyodsu. "Isso prejudicou a cerimônia tradicional tailandesa. A acusação é a de fazer um ato vergonhoso em público e expor-se indecentemente".

O ministro da cultura da Tailândia, Nipit Intarasombut, exigiu que a sociedade "fale e critique" as jovens, informou a Associated Press. Intarasombut disse que os dançarinas devem reparar os danos que causaram lendo livros sobre celebrações tradicionais tailandesas para crianças em creches.

Três meninas – de 13, 14 e 16 anos, de acordo com notícias tailandesas – se entregaram na tarde de segunda-feira. A polícia disse que elas pagaram multas de US$ 16 e foram liberadas, segundo a AP. Não ficou claro se a sua juventude ajudara a dissipar a reação surpreendentemente intensa.

A Tailândia tem regras contra o vício e o governo regularmente bloqueia sites que violem os valores do país. Mas a fraca fiscalização e um laissez-faire geral prejudicam tais controles. O país tem uma longa história de homens que fazem uso de prostitutas – Bangcoc é o lar de centenas das chamadas "saunas" onde os clientes do sexo masculino fazem mais do que apenas mergulhar em banheiras de hidromassagem.

Perto do local onde as três dançarinas foram filmadas fica o distrito de Patpong, onde mulheres e homens realizam shows de sexo ao vivo e vendem o corpo em inúmeros bares.

Chalidaporn Songsamphan, professora-adjunta na Universidade Thammasat, em Bangcoc, disse que os tailandeses ficam desconfortáveis quando a sexualidade é exibida em público. E, segundo ela, a raiva dirigida às dançarinas que fizeram topless é uma forma da população canalizar as suas frustrações com problemas sociais mais amplos, como o alcoolismo, as notas baixas dos estudantes e a delinquência na adolescência.

"Os tailandeses precisam de alguém para culpar", disse Chalidaporn. "É mais fácil do que consertar os problemas do país".

Para o Ministério da Cultura, que realizou campanhas de moralidade no passado, a polêmica também foi prejudicial. Usuários de um fórum de discussão na Internet, o Pantip.com, ressaltaram que o Ministério da Cultura exibia em seu site uma imagem de bom gosto com três mulheres vestindo apenas sarongues em uma representação feérica.

A ilustração foi retirada do site na tarde de domingo.

Por Thomas Fuller

    Leia tudo sobre: tailândiatoplessescândalopolêmica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG