Testes moleculares confirmam relação do Tiranossauro rex com aves modernas

Na primeira análise de proteínas extraídas de ossos de dinossauros, cientistas afirmaram ter estabelecido com mais certeza do que nunca que os parentes vivos mais próximos do grande predador Tiranossauro rex são as aves modernas.

The New York Times |

Getty Images
fdsf

A pesquisa, que será publicada na sexta-feira na Science, produziu os primeiros dados moleculares confirmando a amplamente defendida hipótese de uma relação próxima entre aves e o dinossauro, relatou a equipe científica americana. A ligação já havia sido sugerida pelas similaridades anatômicas.

Na verdade, os cientistas disseram, o Tiranossauro rex tem mais semelhança genética com o avestruz e galinhas do que com répteis como crocodilos. Com essa base, o time de pesquisa redesenhou a árvore genealógica dos maiores grupos vertebrados, designando para o dinossauro um novo lugar nas relações evolucionárias.

Testes moleculares similares feitos em tecidos do extinto mastodonte confirmaram sua próxima relação genética com o elefante, como era suspeitado por causa das afinidades esqueléticas.

Nossos resultados, no nível genético, basicamente estão de acordo com o que foi visto nos dados esqueléticos, disse John M. Asara, da Universidade Harvard, em uma entrevista. Existe uma probabilidade de mais de 90% que a relação do Tiranossauro rex com aves vivas seja real.

Asara e Lewis C. Cantley, ambos do Centro Médico Beth Israel e da Escola Médica de Harvard, processaram as proteínas de tecido recuperadas em ossos de um Tiranossauro rex de 68 milhões de anos escavado em 2003 por John R. Horner, da Universidade do Estado de Montana.

Para o estudo molecular, Asara e Chris L. Organ, um pesquisador de biologia evolucionária de Harvard, comparou a proteína de dinossauro com uma proteína similar de várias espécies de aves modernas, répteis e outros animais.

Organ foi o autor líder do relatório, que concluiu que testes moleculares confirmaram as suspeitas de que os extintos dinossauros teriam um índice maior de similaridade com aves do que com outros vertebrados existentes. Os pesquisadores disseram que pretendiam ampliar suas investigações para incluir comparações da proteína do Tiranossauro rex com mais espécies de aves, répteis e outros dinossauros.

Paleontólogos não se surpreenderam com as descobertas. Um acúmulo de evidências fósseis feito nos últimos anos deu cada vez mais certeza da alegação que aves são descendentes de certos dinossauros ¿ ou como às vezes eles afirmam, aves são dinossauros vivos.

A nova pesquisa, escreveu a equipe de Organ, sugere que dados moleculares de organismos extintos há tempos podem ter o potencial de solucionar relações em áreas críticas da árvore evolucionária vertebrada que, até agora, foram intratáveis.

- John Noble Wilford

    Leia tudo sobre: dinossaurosevoluçãotiranossauro rex

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG