Teste em humanos de vacina contra o HIV é cancelado

Foi cancelado na última quinta-feira, 17, o plano para a realização de um grande teste em seres humanos de uma vacina promissora contra o HIV desenvolvida nos EUA porque, segundo um oficial do governo federal, os cientistas perceberam que não sabiam o suficiente sobre como a vacina anti-HIV e o sistema imunológico interagiam.

The New York Times |

A decisão é um grande retrocesso nos esforços para desenvolver uma vacina contra o vírus HIV, projeto que começou há 24 anos quando oficiais do governo responsáveis pela área da saúde prometeram colocar uma vacina no mercado até 1987.  Oficias da área da saúde sustentam que tal vacina é a maior arma na luta contra a epidemia generalizada de Aids.

Outras vacinas contra o HIV estão em diversos estágios de teste no mundo todo. Mas havia uma grande esperança em torno da vacina desenvolvida pelo governo dos EUA, pois estava em uma nova classe que procurava estimular o sistema imunológico de maneira diferente.

Dr. Anthony S. Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, oficial que cancelou o teste, disse que ficou claro que poderiam ser necessários mais testes em animais antes que a vacina pudesse ser comercializada.

Cientistas disseram que o desenvolvimento da vacina contra o HIV é um dos mais difíceis esforços da ciência devido à natureza misteriosa do vírus.  

A vacina desenvolvida pelo governo ¿ conhecida como PAVE (sigla em inglês para Sociedade para a Evolução da Vacina contra AIDS, em tradução literal) ¿ é similar a uma vacina bastante divulgada que falhou ano passado. A vacina foi desenvolvida pela Merck, e a agência de Fauci ajudou a pagar os testes.  

Fauci disse que tomou a decisão de cancelar o teste programado depois de se encontrar com cientistas para tentar compreender porque a vacina da Marck falhou. Fauce alegou que concluiu que os cientistas devem dar um passo por vez porque ainda não sabem fatos fundamentais como quais são as reações imunológicas mais importantes para prevenir a infecção. 

Fauci disse que um novo teste tinha a intenção de determinar se a vacina poderia diminuir de maneira significante a quantidade de HIV no sangue daqueles que já haviam sido infectados. Segundo ele, antes que se realizem testes em maior escala, um teste de menor dimensão é necessário para que se descubra se a vacina é capaz diminuir a quantidade de vírus no organismo.

Mostre-me que a vacina pode diminuir a quantidade de HIV no sangue, disse Fauci. Então, nós realizaremos um teste maior que irá registrar a ligação entre a vacina e resposta do sistema imunológico. Ele adicionou que até lá, grandes testes não são justificados.  

O dr. Alan Bernstein, diretor executivo da Global HIV Vaccine Enterprise, disse que sua organização apóia a decisão de Fauci e que não existe uma urgente necessidade de novas abordagens no desenvolvimento da vacina contra HIV.

Bernstein disse que recentes avanços de laboratórios, como por exemplo, a descoberta que permitiu os cientistas olharem centenas de genes simultaneamente, ofereceram promessas no sentido de nos ajudar a entender como desenvolver uma nova vacina contra o HIV que possa proporcionar uma imunidade mais duradoura. 

Os testes cancelados na quinta-feira deveriam ter começado com a inscrição de 8.500 voluntários em outubro do ano passado que receberiam a vacina PAVE, desenvolvida pela agência de doenças infecciosas. A agência pretende criar uma vacina efetiva contra o HIV que nenhuma companhia farmacêutica é capaz de criar sozinha.  

Por LAWRENCE K. ALTMAN

Leia mais sobre: Aids - vacina

    Leia tudo sobre: aidshivvacina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG