Tensões estimulam violência entre hindus e cristãos

BOREPANGA ¿ A família de Solomon Digal foi intimada pelos vizinhos a ir a um lugar que funciona como uma praça pública em frente a uma cafeteria da vila. Ordenaram que se ajoelhassem e saudassem o retrato de um pregador hindu. Disseram-lhes para entregar suas bíblias, hinários e dois calendários brilhantemente coloridos com a imagem de Cristo que ficava pendurado em suas paredes. Então, Digal, 45, cristão desde a infância, foi forçado a assistir seus vizinhos hindus queimarem seus pertences.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Adotem o hinduísmo e sua casa não será demolida, disseram a Digal na tarde daquela quarta-feira de setembro. Do contrário, vocês serão mortos ou serão expulsos da vila.

Índia, a democracia mais populosa do mundo e oficialmente uma nação secular, hoje é assombrada por uma agressão absoluta a uma das liberdades mais fundamentais. No oeste de Orissa State, despedaçada por seis semanas de conflitos religiosos, famílias cristãs como a de Digal dizem que estão sendo forçadas a abandonar sua fé em troca de sua segurança.

Enquanto a Índia se prepara para as eleições nacionais, que acontece em alguns meses, conversões forçadas estão entre amplos ataques contra cristãos que acontecem em ao menos cinco outros estados do país.

Os conflitos de religiões têm trazido pânico e destruição nesses pequenos vilarejos, antes tão calmos, alimentados por plantações de arroz e pés de jaca. Em Kandhamal, o distrito mais violento, mais de 30 pessoas foram mortas, 3 mil casas incendiadas e mais de 130 igrejas destruídas, incluindo a capela Batista com telhado de lata, onde a família Digal rezava. Hoje, ela é uma pilha de entulho em um terreno vazio onde vacas pastam alegremente.

Nesse terreno apavorante estão os restos de casas feitas de lama e palha que foram incendiadas. Empresas cujos donos são cristãos estão sendo sistematicamente atacadas. Bandeiras laranja (laranja é a cor sagrada do hinduísmo) balançam triunfantemente em telhados de casas e em fachadas de lojas.

A Índia não é estranha a violência religiosa entre cristãos, que são 2% da população, e hindus indianos que formam a maioria de 1,1 bilhões de pessoas. Contudo, esses recentes ataques são os mais intensos em anos.

As pessoas dizem que tudo começou em 23 de agosto com a morte de um carismático pregador hindu, conhecido como Swami Laxmanananda Saraswati, que por 40 anos incentivou as pessoas locais a escolherem o hinduísmo em vez do cristianismo.

A polícia culpa guerrilheiros maoístas pela morte de Swami, mas os radicais hindus continuam responsabilizando os cristãos.

Nas últimas semanas, cartazes ameaçadores com o cadáver despedaçado de Swami foram espalhados pelas vilas. Quem o matou?, pergunta-se nos cartazes. Qual a solução?.

Por trás dos conflitos estão tensões que vêm crescendo aos poucos entre grupos igualmente pobres: Panas e Kandhas. Ambos são habitantes originais do território e por muito tempo cultuaram os mesmos deuses.

Ao longo das últimas décadas, a maior parte dos Panas se tornaram cristãos, por conta de missionários católicos romanos e batistas que chegaram no local há mais de 60 anos, sendo seguidos mais recentemente por pentecostais, que fizeram conversões mais agressivamente.

Ao mesmo tempo, os Kandhas, em parte por causa dos ensinamentos de Swami Laxmanananda, adotaram o hinduísmo. Os homens amarraram o sagrado Hindu branco em seus corpos; suas mulheres mancharam suas testas com um vermelho forte e brilhante. Templos surgiram.

O ódio também é alimentado por tensões econômicas, uma vez que o governo dividiu cada uma das tribos em categorias e lhes deu privilégios diferentes.

Os Kandhas acusam os Panas de trapacear para obter cotas desejadas para empregos no governo. Em troca, os Panas cristãos dizem que seus vizinhos estão ressentidos porque eles educaram a si mesmos e prosperaram.

As reclamações vêm surgindo em conflitos esporádicos durantes os últimos 15 anos, mas explodiram em fúria desde a morte de Swami Laxmanananda.


Por SOMINI SENGUPTA

Leia mais sobre hinduísmo

    Leia tudo sobre: hinduísmo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG