SÃO FRANCISCO - Voltando para a casa em seu sítio em Sacramento depois de um longo dia de trabalho no verão, Jon e Kim Waldrep geralmente eram recebidos em uma camada de calor.

"Nós chegávamos em casa no verão e a temperatura era de 46º e estava abafado", disse Waldrep, gerente regional de uma companhia nacional. Ele ou a esposa corriam até o termostato e ligavam o ar-condicionado enquanto seus quatro filhos recém-chegados da creche, aguardavam alívio.


Jon Waldrep mudou o telhado de sua casa para diminuir o consumo de energia / NYT

Tudo isso mudou no mês passado. "Agora nós chegamos em casa em dias quando a temperatura lá fora passa dos 40º e a casa está a 26º graus", disse Waldrep. Sua solução foi um telhado novo: uma cobertura branca plastificada brilhante que os peritos dizem ser uma forma de economizar energia e ajudar a esfriar o planeta.

Confiando no antigo princípio de que objetos brancos absorvem menos calor que os escuros, proprietários de imóveis como a família Waldrep estão na vanguarda de um movimento que adota "telhados frescos" como um das armas mais baratas contra a mudança climática.

Estudos mostram que telhados brancos reduzem despesas com ar-condicionado em até 20% ou mais, durante o calor do verão. O consumo menor de energia também significa menos emissões de dióxido de carbono que contribuem com o aquecimento global.

Além disso, um telhado branco pode custar apenas 15% a mais do que seu concorrente escuro, dependendo dos materiais utilizados.

O secretário de energia Steven Chu, laureado Nobel em física, tem defendido os telhados frescos em casa e no exterior. "Faça branco", ele aconselhou a uma plateia de televisão no programa  "Daily Show" do Comedy Central na semana passada.

O cientista que ele chama de seu herói, Art Rosenfeld, membro da Comissão de Energia da Califórnia que tem feito campanha a favor dos telhados frescos desde os anos 1980, argumenta que "clarear" os telhados de todo o mundo nos próximos 20 anos poderia economizar o equivalente de 24 bilhão de toneladas métricas em emissões de dióxido de carbono.

"Isso é o que o mundo inteiro emitiu no ano passado", ele disse. "Portanto, de certo modo, seria como desligar o mundo por um ano". Neste mês a casa de três quartos da família Waldrep consumiu 10% a menos de eletricidade do que há um ano.

De Dubai a Nova Déli e Osaka, Japão, telhados refletivos foram abraçados por oficiais locais que buscam economizar nas despesas com energia. Os cientistas reconhecem que os custos extras com aquecimento durante o inverno podem exceder o valor economizado pelo ar-condicionado em cidades como Detroit ou Mineápolis.

Mas para a maioria das construções, segundo eles, os telhados claros oferecem benefícios em lugares tão ao norte quanto Nova York ou Chicago.

Leia mais sobre aquecimento global

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.