Táxi do futuro chega a Nova York para testes

Carros projetados pela Nissan têm temperatura ajustável pelo passageiro, intercomunicador e teto solar

The New York Times |

Não é apenas o surpreendentemente agradável cheiro de carro novo que diferencia o táxi do futuro daqueles que circulam atualmente pelas ruas da cidade de Nova York. Os táxis novos se assemelhem a minivans com portas deslizantes mais leves que as tradicionais.

Nova York: Caça por táxis sem documentação causa lotação em pátios

E, além disso, os passageiros descobrirão rapidamente que pode haver mais dentro do veículo do que um taxímetro quando o novo Nissan NV 200 tomar as ruas no fim do ano que vem.

NYT
Modelo do Nissan NV 200 na Times Square, em Nova York
A temperatura pode ser ajustada em um sistema regulado pelo passageiro, que pode conversar com o motorista através de um intercomunicador e até mesmo olhar para cima pelo teto solar colorido com possivelmente a vista mais exclusiva da cidade.

Joe Castelli, vice-presidente de veículos comerciais da Nissan, disse que a empresa ainda está trabalhando nos detalhes finais do táxi, como quantas serão as peças de plástico e quantos quilômetros por litro o táxi vai consumir, porque ainda não sabem o peso total do carro.

A Comissão de Táxis e Limousines solicitou opiniões sobre como deveria ser o design do novo táxi, alguns procuraram abordar queixas frequentes sobre os táxis: é difícil discernir se eles estão disponíveis ou não, disseram. O novo táxi terá sinais mais visíveis em cada lado da traseira do veículo que indica se está vago ou não, para complementar a placa localizada no teto.

Os táxis oferecem espaço para quatro passageiros (um na frente e três atrás) e têm mais espaço no porta-malas do que aqueles ainda em circulação.

Motorista

Os taxistas não foram esquecidos: os táxis têm novos bancos ajustáveis que foram projetados com um material respirável. Além disso, eles também podem baixar o banco do passageiro para criar uma mesa.

Mas nem todo mundo gostou. Três pessoas, incluindo duas em cadeiras de rodas, seguravam cartazes amarelos e protestaram contra os novos táxis em frente ao prédio onde a apresentação foi realizada. Os manifestantes do grupo Taxis for All contestavam o fato de que o Nissan não está em conformidade com o Ato dos Deficientes.

Quanto aos odores, Castelli afirmou que a empresa projetou os assentos com um material resistente a germes resistentes que se assemelha a produtos usados em hospitais.

*Por Christine Haughney

    Leia tudo sobre: táxinova yorkcarrosnissaneua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG