Taleban suaviza postura para ganhar mais simpatizantes

CABUL - O Taleban embarcou em uma sofisticada guerra de informação, usando modernas ferramentas de mídia, bem como algumas mais antiquadas, para suavizar sua imagem e conseguir o apoio dos afegãos conforme tenta se opor à nova campanha americana para ganhar os corações e mentes do povo do Afeganistão.

The New York Times |

O líder espiritual do Taleban, o mulá Muhammad Omar, divulgou uma ampla diretiva no final da primavera passada delineando um novo código de conduta para o grupo. As ordens incluem a proibição de ataques com homens-bomba a civis, queimar escolas ou cortar orelhas, lábios e línguas.

O código, que tem sido inconsistentemente implementado, não significa necessariamente uma insurreição mais suave. Embora o Taleban tenha advertido alguns civis antes de seu ataque no centro de Cabul na segunda-feira, o grupo ainda foi responsável por três quartos das vítimas civis do ano passado, de acordo com as Nações Unidas.

Agora, conforme o Taleban aprofunda sua presença em mais áreas do Afeganistão, o grupo precisa de mais apoio popular e se mostra cada vez mais como um movimento de libertação local, independente da Al-Qaeda, capitalizando da frustração dos afegãos com seu próprio governo e a presença de tropas estrangeiras.

Com isso a insurreição tem se tornado mais forte, segundo autoridades da Otan.

Camponeses afegãos e algumas autoridades da Otan acrescentam que o código começou a mudar a forma como comandantes Taleban e seus seguidores se comportam em campo. Alguns dos comandantes mais brutais foram até mesmo afastados por Omar.

A operação de relações públicas do Taleban também é cada vez mais eficiente em transmitir sua mensagem e frequentemente trabalha mais rápido do que a OTAN.

"A adaptação afegã à insurgência os torna ainda mais perigosos", disse um agente de inteligência da Otan. "Suas metas ambiciosas provavelmente não mudaram muito desde 2001, mas quando nós chegamos com uma nova estratégia, eles responderam com a deles".

A estratégia americana inclui limitar ataques aéreos que mataram civis e concentrar as tropas mais perto dos centros populacionais para que os afegãos se sintam protegidos do Taleban.

Analistas americanos e afegãos veem o esforço do Taleban como parte de uma iniciativa mais ampla que emprega toda ferramenta possível, incluindo a tecnologia da internet, que no passado já denunciaram como "não-islâmica". Agora eles usam o boca-a-boca, mensagens por celulares e vídeos online para transmitir sua mensagem.

Leia mais sobre Taleban

    Leia tudo sobre: taleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG