Surfista reabilitado busca inspirar colegas de ondas

SANTA CRUZ, Califórnia - Na primeira vez que Darryl Virostko surfou ondas altas como um prédio de três andares em Mavericks, a lendária praia surfista, ele havia usado ácido. Esta não era a única droga que Virostko, 37, tomava durante sua carreira no surfe.

The New York Times |

Mas ao ganhar a reputação como um dos surfistas mais destemidos do mundo - conquistando o primeiro lugar na competição de Mavericks, a principal das disputas em ondas gigantescas, três vezes na sequência - ele também estava se tornando um alcoólatra e viciado em metanfetaminas, dependências que o impulsionaram ao sucesso no surfe, mas eventualmente o destruíram.


Darryl Virostko, surfista reabilitado / NYT

"Com a metanfetamina, você se move a milhões de quilômetros por minuto", disse Virostko, cujo apelido é Flea. "Você se sente capaz de pegar qualquer onda que aparecer".

Em 2005, durante o auge do uso da substância no condado de Santa Cruz, mais da metade das prisões relacionadas a drogas feitas pelo gabinete do xerife envolviam a metanfetamina.

Em uma pesquisa com 500 condados de todo o país realizada em 2005, 87% informaram aumento nas prisões relacionadas à metanfetamina nos três anos anteriores. Condados da Califórnia relataram um aumento de 100%.

"Metanfetamina era algo gigantesco", disse Josh Pomer, 36, cineasta de filmes de surfe de Santa Cruz que conhece Virostko desde a escola primária. "Todo mundo tinha feridas pelo rosto".

Virostko está sóbrio há um ano e neste mês ele começou um programa chamado FleaHab em colaboração com um centro de reabilitação de drogas local.

Ele ensinará surfe e outros esportes a pacientes que passam pela reabilitação do vício em álcool e outras drogas.

Virostko espera que o FleaHab seja sua âncora no seco terreno da sobriedade. Viciados do programa substituirão o barato das drogas pela endorfina de atividades físicas extenuantes, ele diz.

Ele recentemente assumiu um grupo de alunos de surfe para ver como seria a experiência de ensinar.

"É como se eu estivesse aprendendo a surfar novamente", ele disse. "Vê-los tão excitados me lembra de quando eu comecei".

Neste inverno Virostko irá competir pela primeira vez sem o uso de drogas. Enquanto muitos viciados passam por programas de 12 passos ou optam pela ajuda de Deus, Virostko diz que escolheu o oceano.

"Todas as vez que eu surfei Mavericks, quando entrei dentro de uma onda eu disse, 'Por favor, me deixe sair'", Virostko disse. "Eu tenho falado com o oceano minha vida inteira. É maior e muito mais poderoso do que eu".

Leia mais sobre surfe

    Leia tudo sobre: drogassurfe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG