Sírios querem que turcos busquem o Oriente

Crescimento da Turquia no cenário político e econômico mundial estimula fortalecimento das relações do país com vizinhos árabes

The New York Times |

Os sírios endinheirados já visitavam em peso a antiga cidade industrial de Gaziantep, na Turquia, atraídos pelas bolsas Louis Vuitton e lojas com anúncios em árabe.

Mas os donos de lojas locais dizem que o ataque mortal de Israel à flotilha turca em maio tem solidificado ainda mais uma amizade entre a Síria e a Turquia, o novo herói do mundo muçulmano.

The New York Times
Pessoas fazem compras em shopping de Gaziantep, na Turquia

A peregrinação mensal de dezenas de milhares de sírios a esta cidade do sudeste turco - que foi intensificada depois que os dois países removeram a necessidade de visto em setembro passado - é apenas a manifestação mais recente do laços crescentes entre a Turquia e a Síria, parte dos esforços do governo turco para envolver seus vizinhos usando laços econômicos e culturais para ajudá-lo a se tornar um líder regional.

A mudança da Turquia em direção ao mundo muçulmano - que teve início a partir de um confronto recente de Israel com a descrição do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan a respeito do programa nuclear do Irã como pacífico - tem provocado preocupação nos Estados Unidos e na Europa de que a Turquia, importante aliado da Otan, está virando as costas para o Ocidente.

Na Turquia, onde 70% de todas as exportações vão para a Europa, os empresários insistem que a política do governo de cultivar laços de amizade com todos os vizinhos reflete um impulso sagaz e muito ocidental capitalista para compensar a dependência do mercado europeu estagnado, consolidando a posição da Turquia como uma economia vital e ponte política entre o Oriente e o Ocidente.

Na verdade, a maioria dos Estados árabes, incluindo a Síria, apoiam com entusiasmo a candidatura da Turquia para aderir à União Europeia, vendo o país como um intermediário vital para os mercados ocidentais que de outra forma estariam fora de alcance.

Na questão política, a influência da Turquia no Oriente Médio também é profundamente reforçada pela sua forte ligação com o Ocidente - um fato reconhecido pelo presidente da Síria, Bashar Al-Assad, que surpreendeu a muitos na capital turca este mês com o aviso de que a recente crise entre Israel e Turquia poderia minar o papel de Ancara como mediador da região.

The New York Times
Mulheres trabalham em fábrica de sapatos turca que aumentou exportações para Síria em 40% no ano passado

Há apenas dez anos as relações entre a Síria e a Turquia eram tensas, com a Turquia acusando a Síria de abrigar os separatistas curdos e a Síria agredindo a Turquia por causa de disputas sobre água e territórios.

Os sírios também abrigavam ressentimentos históricos por causa da subjugação implementada pelos otomanos, enquanto muitos turcos seculares eram definidos pela orientação ocidental do fundador da Turquia, Mustafa Kemal Ataturk, que via a Síria como um país autocrático e atrasado.

Com a recente eliminação das restrições na fronteira, no entanto, as exportações turcas de todo tipo de produtos, de chá a fraldas, estão crescendo, junto com um novo ardor pelo país.

"Os países árabes que antes se ressentiam de nós agora querem ser como somos, mesmo que eles estejam olhando para os turcos mais do que nós estamos olhando para eles", disse Emin Berk, turco que é coordenador do Gabinete de Comércio Turquia-Síria.

Empresários turcos aqui dizem que independentemente da política do partido do governo estar conduzindo as mudanças econômicas ou o inverso, o que importa é que a nova abertura para o oriente está reforçando o comércio.

Por Landon Thomas Jr.

    Leia tudo sobre: turquiasíriaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG