Sim, ele pode e mostrará isso a todos

Passe um tempo com o presidente eleito Barack Obama, e você não irá questionar a confiança que ele levará para o Salão Oval daqui a oito dias. Ele próprio não questiona.

The New York Times |

Aos 47 anos, Obama está herdando uma economia que perdeu um milhão de empregos há apenas dois meses desde sua eleição. E ele teve mais anos de política do que a idade de sua filha mais velha, Malia, 10.

Ainda assim ele traz, com sua autoconfiança, seu programa e sua capacidade em reunir um público americano apavorado. Como evidência de que seu ânimo interno ressoa a esse público, considere que 82% das pessoas que a CNN entrevistou no mês passado creditou à Obama a habilidade de inspirar confiança.

A mesa atrás do futuro presidente no escritório da equipe de transição possui alguns volumes das palavras de um presidente: John F. Kennedy. Ele não se sente diminuído em comparação a Kennedy, outro presidente carismático, de 40 e poucos anos, com uma jovem família atraente e um diploma de Harvard.

Você tem que assistir aqueles caras de Harvard, eles pegarão você sempre, disse Obama com uma risada durante uma entrevista recente. Ele prometeu evitar as falhas de Kennedy em Best and the Brightest (livro de um jornalista sobre a administração de Kennedy), procurando diversos conselhos.

Getty Images

A alegria de Obama inspira confiança e ânimo ao povo americano


Quanto às preocupações sobre confiança demais, ele dá de ombros, falando sobre suas habilidades: Eu tenho confiança de que eu sou um bom ouvinte, sou bom em sintetizar conselhos provenientes de diversas e diferentes perspectivas, e estou confiante de que tomaremos as melhores decisões possíveis da perspectiva do que é bom para os americanos.

Conselhos

Os desafios de liderança que ele enfrenta, na maioria das vezes, traçam comparações com Franklin Roosevelt durante a Grande Depressão. Ele adota isso também.

Se você olhar o primeiro discurso de FDR, a frase que é lembrada é A única coisa que temos que temer é o próprio medo, disse Obama. Mas, na verdade, a parte principal do discurso é focada na necessidade de agir e de agir agora.

Isso é um pouco do conselho que eu recebi de um dos ex-presidentes, continuou ele. Ele disse, Parte da razão, Barack, pela qual você está agindo bem agora é porque você não esconde as coisas do povo americano, você é sincero e apenas explica o que está acontecendo.

Então meu trabalho, tanto no discurso inaugural e nos meses que estão por vir, é simplesmente explicar o mais honesta e verdadeiramente possível quais são as circunstâncias, quais as melhores idéias que estão lá fora em termos de enfrentar os desafios e se eu fizer isso, eu sinto a confiança de que juntos resolveremos esses problemas.

Família americana

O ânimo de Obama vai além da política ou da lábia de comunicação. O primeiro afro-americano a ser eleito presidente projeta uma identificação com pais de classe média de todos os lugares, brancos e negros. Chame isso de sensibilidade Ozzie e Harriet (seriado que passava nos anos 60, do ideal de vida de uma família americana) de uma maneira diferente, nos EUA do século 21.

Eu acredito que, na teoria geral, se a mãe é feliz, todo mundo é feliz, disse Obama, lembrando um conselho de família de seus predecessores na Casa Branca na semana passada. Todo mundo concordou com isso.

Ambos os presidentes Carter e Clinton tinham visões únicas porque tinham filhos mais novos quando estavam na Casa Branca, disse. E, obviamente, Malia e Sasha têm 10 e sete anos, e só queremos ter certeza de que estamos criando a maior normalidade possível dentro do que obviamente é uma situação extraordinária.

Esportista

O político e também jogador de basquete em forma usa o entusiasmo por esportes para se conectar com homens e mulheres parecidos. Ele não manifestou nenhuma vergonha com as fotos de paparazzi nas quais ele estava sem camisa, em sua mais recente viagem de férias com a família, e nem mesmo ao fazer uma observação sobre o fato, Minha mulher riu porque eu fiquei ruborizado.

Depois de seu azar com o boliche durante as eleições primárias no ano passado, ele andou praticando com suas filhas no novo Nintendo Wii. Falando à noite sobre o jogo do campeonato de futebol da faculdade entre a Flórida e Oklahoma, ele ficou especialmente animado em afirmar sua preferência pelo sistema de jogos decisivos.

Se você reparar em fãs de esportes que entendem bem do assunto, eles concordam comigo, disse o presidente eleito com um sorriso. Mas, você sabe, eu tenho que selecionar e escolher minhas batalhas. Eu provavelmente passarei mais tempo focando em criar três milhões de emprego.

E, ao dizer isso, ele não pareceu preocupado.

Por JOHN HARWOOD

Leia mais sobre Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG